Não bastassem as relações já frias entre Moscou e Washington, uma empresa russa resolveu criar e lançar um sorvete coberto de chocolate batizado de “Little Obama” (algo como “Obaminha”, em tradução livre).

O produto, chamado de “Obamka” em russo, possui uma embalagem com a ilustração de um garoto africano usando um brinco em uma das orelhas, e segurando um picolé.

Relações conturbadas

As relações entre americanos e russos não têm sido muito amistosas em anos recentes. Um dos problemas decorre da recente anexação da República da Crimeia (território pertencente à Ucrânia) ao território da Rússia, em 2014, que foi considerada ilegal pela União Europeia, inclusive.

Publicidade
Publicidade

Outro atrito se deve a divergências com relação ao modo como o Kremlin tem agido em sua intervenção militar na Síria.

Desde então, a mídia russa e ativistas a favor do governo daquele país têm ridicularizado e repreendido o presidente Barack Obama, em ações que as autoridades americanas classificaram como sendo insultantes e, até mesmo, racistas.  

Alegação do fabricante

A empresa Slavitsa, fabricante do sorvete, afirmou em um comunicado que seu produto trata-se apenas de algo destinado a crianças e que apresenta personagens “alegres”: “Com diferentes sabores e coberturas, o sorvete simboliza as principais raças de pessoas do nosso planeta”, alegou a indústria, e acrescentou que a imagem do menino africano presente na embalagem do “Obaminha” havia sido inspirada por um filme soviético.

A nota da empresa conclui: “Nomes de sorvetes precisam ser memoráveis.

Publicidade

Para aqueles com uma rica imaginação, várias associações podem surgir, mas este produto destina-se a crianças e não tem nada a ver com política”.

Reação americana

Uma autoridade dos Estados Unidos, que não quis ser identificada, disse à rede de notícias Reuters que acha o conceito do sorvete perturbador, afirmando: "Embora eu não tenha visto este produto específico para venda, nós (do governo) estamos decepcionados com o antiamericanismo midiático que se tornou tão prevalente na Rússia ao longo dos últimos anos, particularmente, quando se assume uma tendência discriminatória ou racista". #Curiosidades #Europa #EUA