Na semana passada, o governo da Venezuela aumentou o preço em itens considerados básicos para a população, e a nova medida deverá elevar ainda mais a inflação, na Venezuela. De acordo com especialistas, a taxa de inflação deverá fechar o ano acima de 710%, a maior  taxa já registrada no pais. De acordo com uma pesquisa do Superintendência Nacional para a Defesa dos Direitos Socioeconômicos (SUNDDE), descobriu-se que a  farinha de milho subiu mais de 900%, ou seja, antes, um quilo de farinha custava 20 bolívares, agora, com o novo aumento, o produto custa mais de 200 bolívares. O item é um dos mais escassos em mercados de Caracas, juntamente com a carne.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a pesquisa, o aumento no preço da carne ultrapassa a casa dos 1.200%, ou seja, antes, um quilo de bife era vendido a 60 bolívares, na última semana, o preço aumentou para mais de 800. Com o aumento, muitos mercados já registram queda no número de vendas.

Os empresários acusam o governo de estar cortando o acesso aos dólares para importação de produtos. Em contrapartida, o governo acusa os empresários e produtores rurais de deixarem de produzir, na tentativa de forçar o presidente a renunciar seu cargo. Uma reportagem publicada no jornal Valor Econômico, ressalta que o governo teria transferido mais de 90 toneladas de ouro para a Suíça, sem a aprovação do Congresso. De acordo com a reportagem, o total do montante transferido ultrapassa a casa dos US$ 3,5 bilhões de dólares.

Publicidade

Para a oposição, mais de 30% do ouro da Venezuela estaria depositado em contas de Maduro na Suíça. Os deputados da oposição ressaltam que o presidente teria realizado um empréstimo bilionário com os bancos da Suíça. Para fechar o negócio, ele teria repassado metade do ouro venezuelano como forma de garantia. Fontes anônimas, que monitoram o mercado de ouro no mundo, afirmam que, em 2015, mais de 50 toneladas do minério sumiram dos cofres venezuelanos.

País enfrenta graves dificuldades no abastecimento

Na última semana, a fábrica da Coca-Cola teve que interromper a produção por falta de açúcar. Os importadores também reclamam das dificuldades que enfrentam no acesso aos dólares, para conseguirem efetuar as importações. A maioria reclama que o sistema cambial do país está impedindo a compra de dólares e obrigando-os a recorreram na justiça para ter acesso à moeda estrangeira e efetuar as importações. Mas  os processos na justiça estão muito lentos e o país corre o risco de enfrentar um desabastecimento geral. #Entretenimento #Crise econômica #Crise-de-governo