Desde o dia 24/11 do ano passado, as relações bilaterais entre a Rússia e a Turquia entraram em colapso com a "quase" guerra entre os dois países, isso porque um caça de combate russo SU-24 que participava de ataques contra o EI - Estado Islâmico, foi abatido pela Força Aérea turca sobre espaço aéreo da Síria.

Esse ato perpetrado pelos turcos provocou uma comoção nacional na Rússia e, imediatamente, #Vladimir Putin, presidente daquele país, falou à imprensa mundial de que o ato turco representou uma "punhalada nas costas". 

Na realidade, conforme cientistas políticos e especialistas em diplomacia internacional, toda vez que o governo de Ancara passa por problemas, ele tem facilidade de exportar a sua crise interna.

Publicidade
Publicidade

Exemplos claros disso são as centenas de invasões de aviões de guerra turcos sobre o espaço aéreo da Grécia somente em 2015 ou mesmo o envio de tropas da Turquia à Síria, violando também as fronteiras dessa última nação.

Retomando o assunto das relações entre Moscou e Ancara, conforme veiculado pelo jornal Haberturk, a Turquia tomou a iniciativa de realizar três ações significativas no que diz respeito à evolução de seu relacionamento político, cultural e econômico com os russos. 

A primeira ação para a melhoria do convívio entre os países partiu de Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia, o qual remeteu ao seu homólogo russo, uma carta alusiva à comemoração do Dia da Rússia. Erdogan discorreu sobre o novo embaixador turco enviado para Moscou e frisou que deseja a melhora nas relações turcas e russas. 

 

A estratégia do envio de carta das autoridades turcas para os governantes russos tinha sido adotada anteriormente, na ocasião em que Binali Yildirim, o primeiro ministro do país, enviou uma carta de conteúdo parecido para Dmitry Medvedev, manifestando a intenção de que "no futuro próximo, a cooperação e as relações entre os dois países alcancem o nível necessário para zelar pelos interesses dos seus povos". 

O jornal turco Haberturk revelou que o segundo passo para a melhoria gradativa do relacionamento russo-turco foi a indicação de Huseyin Dirioz para a ser o atual embaixador turco na Rússia, podendo significar um recomeço para ambas as nações. 

A terceira ação diz respeito à festa oferecida por Andrei Karlov, embaixador russo na Turquia, nas dependências da embaixada em Ancara, recebendo três funcionários graduados e até enviados do Exército turco juntamente com o  assessor do vice-ministro das Relações Exteriores da Turquia. 

Todavia, Maria Zakharova, que representa oficialmente a Chancelaria russa, salientou em comunicado oficial no dia 17 de junho que o comportamento de Erdogan não traz nada de significativo para a Rússia e é somente algo protocolar. 

Em resumo, o governo de Moscou quer mesmo é o pedido público de desculpas da Turquia, reconhecendo que o caça não invadiu o espaço aéreo turco; a extradição para Moscou dos assassinos intencionais do piloto russo; o pagamento em dinheiro à família do militar russo e, por fim, a compensação financeira à Rússia pela destruição do SU-24.

Publicidade

#Guerra Civil #Coalizão russa