Sábado à tarde. Você aproveita o final de semana para relaxar em casa com sua família, assistindo a algum programa na TV. Enquanto se diverte, a campainha toca. “Algum vizinho precisando de um café ou açúcar”, você imagina. Vai até a porta e percebe que, do lado de fora, não está nenhum vizinho e sim dois policiais. A primeira reação é de surpresa. Você imagina o que pode ter feito de errado ou, pior, se algum parente sofreu um acidente. Mas, ao perguntar aos policiais o que está havendo, vem a notícia: O #Estado Islâmico quer te matar. Os policiais tentam te acalmar, avisando que a ameaça não é iminente, mas que você deve tomar cuidado com o ataque de "lobos solitários" (simpatizantes do Estado Islâmico que realizam ataques de forma independente). O que fazer a partir deste momento?

A história aconteceu com um homem de Vancouver, no Canadá.

Publicidade
Publicidade

Ele é um dos 151 cidadãos canadenses marcados para morrer pelo Estado Islâmico. A organização terrorista divulgou no início do mês uma lista de pessoas que devem ser assassinadas pelos seguidores do grupo. Mais de oito mil nomes e endereços estão na lista, que inclui brasileiros. Apesar dos especialistas em segurança ainda estarem discutindo se a ameaça deve ou não ser levada a sério, para quem tem seus dados pessoais divulgados na lista o assunto é de extrema importância.

"Me sinto como se fosse preciso sempre estar olhando pra trás e ao redor", revelou. "Não consigo dormir. Não por medo de ser atacado, mas pensando se eu fiz tudo o que podia para manter minha família segura. Eu não entendo como isso pode ter acontecido", contou o rapaz à emissora de tv canadense CTV. Sem saber o que fazer, o homem apagou todos os seus perfis nas redes sociais e instalou um alarme em sua casa. 

Real ou não, as autoridades canadenses estão levando a sério as ameaças.

Publicidade

Um porta-voz da polícia canadense afirmou à revista Macleans que a organização está ciente das ameças e trabalhando em parceria com agências de segurança e inteligência de todo o mundo para identificar os alvos e notificá-los. O governo canadense também afirmou que todos os órgãos de segurança do país foram notificados sobre a lista e estão trabalhando para manter o país seguro.  #Terrorismo