Uma bebê de dois anos deu entrada no hospital de Génova, na Itália, apresentando várias deficiências. A menina teve que se recuperar em uma unidade específica de cuidados intensivos, na pediatria do hospital, após se apresentar em enormes dificuldades. Enquanto a menina ia evoluindo e se recuperando, os médicos foram se apercebendo que o problema da menina pode estar na sua alimentação. Filha de veganos, a menina estava fazendo também uma dieta vegetariana e, por isso, apresentava carência de várias vitaminas e proteínas. 

Ao que tudo indica, o problema da criança pode estar na sua alimentação. Os pais estavam seguindo uma dieta vegana, onde vigora a ausência de qualquer proteína animal ou derivada dos animais.

Publicidade
Publicidade

Ou seja, carne, peixe, leite de vaca, ovos e até mel nunca entraram na alimentação dessa menina. No início a menina estava sendo amamentada pela mãe mas, quando começou a ingerir alimentos sólidos, as proteínas animais ficaram fora da sua dieta alimentar. Ao chegar no hospital passando mal, a criança apresentava um peso muito baixo, dificuldades para se movimentar e falta de vitamina B12. Aliás, a ausência dessa vitamina teria sido a principal causa para todos os problemas de #Saúde da menina. 

A vitamina B12 é indispensável para a formação das células vermelhas do sangue e se encontra principalmente nos animais. Como a menina poderia consumir essa vitamina apenas na soja, seu estado de saúde acabou se agravando. Apesar de os médicos acreditarem que a criança vai recuperar sua total mobilidade, ainda têm algumas dúvidas se essas carências podem resultar em problemas neurológicos.

Publicidade

Nesse momento a criança já saiu dos cuidados intensivos e está se recuperando bem na ala de pediatria.

O tribunal de menores italiano poderia intervir nesse caso mas, para já, ainda não teria sido tomada qualquer ação contra os pais da menina que podem, no entanto, responder por negligência e até maus tratos no cuidado dessa criança. De acordo com jornal La Informácion, a dieta vegana não é aconselhável às crianças. Se é possível para um adulto sobreviver alimentando-se apenas de proteína vegetal, ainda que com alguma ajuda de suplementos, o mesmo pode não ser adequado para as crianças, que sobretudo nessa fase de crescimento precisam de outros nutrientes. 

Além do mau estar físico, do evidente enfraquecimento e das debilidades no crescimento, a menina pode ainda ficar com lesões cerebrais permanentes por culpa dessa dieta tão restritiva. 

E o leitor, o que pensa sobre esse caso? Têm esses pais condições de tomar conta dessa criança? Ou deveriam ser responsabilizados por negligência? Deixe sua opinião nos comentários.  #Justiça #Europa