O 'bebê milagre' português, Lourenço, já está se alimentando como qualquer outro bebê da sua idade. O menino que está completando dezoito dias de vida nesse sábado, dia 25 de junho, está comendo "com autonomia", garantem os médicos, de acordo com o jornal Correio da Manhã. O menino que sensibilizou Portugal e o mundo, após nascer 107 dias depois da mãe falecer,  está evoluindo e se recuperando cada vez melhor. Em breve, poderá ter alta hospitalar. 

São muito raros os casos como este em que Lourenço nasceu, em uma cesariana, com a mãe em morte cerebral. Sandra Pedro estava grávida de 17 semanas quando uma dor forte de cabeça a levou para a urgência hospitalar.

Publicidade
Publicidade

Após algumas horas, acabou entrando em coma, uma situação que se revelou irreversível. Quando os médicos anunciaram sua morte cerebral, não evitaram escutar o coraçãozinho de Lourenço batendo. Foram dias de luta mas os médicos do Hospital de São José, em Lisboa, conseguiram que o milagre acontecesse e no dia 7 de junho, nasceu Lourenço Salvador. Pouco depois, as máquinas seriam desligadas e se realizariam as cerimônias fúnebres por Sandra Pedro, a mãe que emprestou o seu corpo para gerar o filho que não chegaria a ver.

Apesar de alguma polêmica entre o pai do menino, Miguel Ângelo Faria, e os avós maternos sobre quem vai cuidar da criança, as atenções hospitalares continuam se concentrando no bebê, que continua surpreendendo os médicos. Foi com alguma surpresa que toda a equipe do hospital de São José viu nascer Lourenço de perfeita saúde, apesar de prematuro.

Publicidade

Inicialmente, foi colocado nos cuidados intensivos de onde já saiu e até já está se alimentando, pegando bem no bico da mamadeira, garantindo já autonomia no momento de se alimentar.  

Nesse momento, Lourenço Salvador já está pesando 2,6 kg e, de acordo com um comunicado do Centro Hospitalar de Lisboa Central, o menino está mantendo uma evolução "favorável" e "muito positiva" nos últimos dias. Ainda, de acordo com a mesma declaração, o menino terá que realizar novos exames brevemente, mas tudo continua correndo muito bem com o bebê, sendo expectável que o menino possa ter alta do hospital brevemente. 

Faltará ainda saber para onde irá a criança, uma vez que o pai e os avós não chegaram a um acordo sobre quem deve cuidar do menino ou se poderia mesmo haver uma guarda partilhada. A solução poderia ser encontrada no tribunal, mas nesse caso, a guarda deverá ser entregue para o pai, que está trabalhando, e pretende criar o seu filho. No mais importante, o bebê continua evoluindo favoravelmente.  #Família #Europa #sistema de saúde