O último sábado, dia 11 de junho, foi marcado como um dia de tristeza para todos cidadãos norte-americanos. Segundo presidente dos Estados Unidos da América (#EUA), o atentado que matou mais de 50 pessoas na boate Pulse, localizada no centro da cidade de Orlando, foi um dos mais assustadores da história do país, e ele vai agir com força. Por conta disso, muitas pessoas já se manifestaram em apoio às vítimas, que estão sendo localizadas através de fotos dos mortos divulgadas pela Polícia e Prefeitura da cidade. Quem também decidiu falar foi o pai do atirador, que foi morto em confronto com as autoridades na saída da boate gay. O homem era Omar Mateen, conhecido na família por ter comportamento agressivo contra homossexuais e indícios de um desequilíbrio mental.

Publicidade
Publicidade

O pai de Omar, Seddique Mateen, é de origem árabe e negou que o filho tenham ligação com o grupo terrorista Estado Islâmico, acusado pelos Estados Unidos e diversos países do mundo por propagar o terrorismo em nome da religião muçulmana. Para quem não sabe, Seddique é uma celebridade entre os afegãos que moram nos Estados Unidos. Apesar de negar que tenha ligação com o terrorismo, ele já defendeu o grupo armado Talibã em meios de comunicação como TV e internet. Seddique disse que se sente profundamente triste e abalado com a situação, e que lamenta pelas famílias dilaceradas pelas mãos de seu filho no atentado da noite de sábado.

Ele falou também que "cabe a Deus punir os homossexuais". Todo o desabafo foi postado no Facebook de Mateen, em um vídeo gravado na casa dele.

Publicidade

Ele ainda aproveitou o momento para dizer que seu filho era "bom e educado". O pai se mostrou espantado, pois não imaginava que Omar "tinha tanto ódio em seu coração".

Seddique é conhecido no país por apresentar um programa voltado para o público muçulmano, o "Durand Jirga Show", que é divulgado pelo Youtube.

Veja o vídeo gravado pelo pai do atirador da boate Pulse:

Em entrevista para o canal norte-americano NBC, Seddique também deu uma declaração emocionada sobre o ocorrido. Ele falou que desejava que nada disso acontecesse com nenhuma daquelas pessoas, que eram boas e não mereciam passar por tal sofrimento. Assista:

#Crime #LGBT