Mais um cantor do The Voice morreu de uma forma brutal. Alejandro “Jano” Fuentes levou três tiros na cabeça na noite da última quinta-feira (16). O artista participou do “The Voice” mexicano no ano de 2011.

O assassinato aconteceu em Chicago, nos Estados Unidos, em frente a uma escola em que ele dá aula. O ataque aconteceu em menos de uma semana após a também cantora do The Voice, Christina Grimmie, ser assassinada a tiros enquanto atendia a fãs após um show em Orlando, na Flórida.

No caso de Fuentes, quando ele estava entrando no carro, o homem armado apareceu, mandou que ele saísse e atirou várias vezes nele. O rapaz chegou a ser socorrido e hospitalizado no Hospital Mount Sinai.

Publicidade
Publicidade

Ele ficou internado até sábado, mas não resistiu. O cantor estava saindo do estúdio e indo comemorar o seu aniversário. Com ele estava um amigo. Ele tinha 45 anos e foi declarado morto às 14h07 de sábado (18). Já o atirador saiu do local a pé e foi até um carro. Fugiu em seguida.

Amigos dizem que não conseguem entender o que pode ter acontecido. Eles contaram que o cantor, um dos 10 finalistas do The Voice mexicano, conheceu Chicago e gostou tanto da cidade que decidiu montar um estúdio lá. Uma moça, que trabalha em uma padaria perto do local de trabalho de Fuentes, disse que ele era uma pessoa que gostava de ajudar os outros e que todos estão tristes e preocupados com a violência.

Já no caso da cantora Christina Grimmie foi assassinada e o atirador se matou em seguida. O caso aconteceu no dia 11 de junho.

Publicidade

A cantora ficou famosa por ser uma forte candidata do programa "The Voice" da televisão americana. Ela também chegou a ser socorrida, mas não sobreviveu. A cantora de 22 anos tinha 22 anos e dava autógrafos no momento do ataque. Ainda do The voice, no Brasil, o cantor Renan Ribeiro também morreu, após sofrer um acidente de carro no dia 30 de maio.

A polícia investiga o novo caso, mas inicialmente acredita-se que não foi um caso aleatório. Fuentes seria o alvo do atirador ainda desconhecido pelas autoridades americanas.  #Crime #Casos de polícia