Alguns podem estar se indagando nesse momento se a #União Europeia é um sistema fracassado e destinado à extinção. Outros não acreditam em uma mudança tão drástica na união em diversas frentes dos países da #Europa, mas, fato é, que a mudança no cenário político e diplomático também tem provocado convulsões na “união” dos europeus. 

São cidadãos da Espanha, Grécia, Itália, entre outros países, que estão desempregados; a Europa é testemunha da maior migração humana desde a 2ª Guerra Mundial; e a economia do continente sofre retração. Esses são alguns dos motivos que levaram a Grã-Bretanha a cogitar a saída da União Europeia até mesmo porque em nível de identidade nacional, a ilha da rainha não se considera de todo europeia, conforme capítulos da história mundial. 

Por outro lado, até o presente momento, um número superior a 43 mil cidadãos manifestaram-se, assinando a petição que sugere o término do referendo de abrangência nacional que analisará a saída do Reino Unido como um todo da União Europeia

O documento feito e direcionado ao governo do Reino Unido pode ser visto na plataforma virtual do Parlamento e vale frisar que se o mesmo atingir o número de 100 mil assinantes, o tema terá de ser adiado para discussão no mesmo Parlamento da Grã-Bretanha. 

O famoso jornal de circulação diária "The Independent", vem veiculando matérias explicativas sobre o surgimento da petição em questão, que conforme o mesmo, só apareceu depois que a jovem deputada inglesa pelo Partido Trabalhista, Jo Cox, foi assassinada a sangue-frio com requintes de crueldade por um nacionalista no último dia 16 de junho. 

Já no dia 18, o número de pessoas que fizeram questão de assinar a petição, ultrapassava os 20 mil, o que pode ser entendido que em um curto período de tempo, talvez antes mesmo do dia agendado para o referendo, o documento possa conquistar as 100 mil assinaturas, que é o mínimo necessário para levar o assunto para o Parlamento, reiteram as notícias do jornal anteriormente citado. 

O estopim para o acirramento das discussões sobre a permanência ou saída (“Brexit” como vem sendo chamado) do Reino Unido de sua convivência com os demais países da União Europeia foi o homicídio doloso de Helen Joanne Cox ou simplesmente "Jo" Cox, deputada do Trabalhista.

Publicidade
Publicidade

O nível de intolerância e impossibilidade de convivência com opiniões diferentes fizeram com que Tommy Mair, apoiador do Brexit, baleasse e esfaqueasse a deputada na região de West Yorkshire. O assassinato acabou estancando das campanhas políticas favoráveis e desfavoráveis à saída do Reino Unido do bloco europeu

O referendo está marcado para 23 de junho, quinta-feira. O número de apoiadores e de pessoas contrárias para que o Reino Unido fique na União Europeia está tecnicamente empatado, de acordo com as mais recentes pesquisas. #Crise