As atrocidades causadas pelo #Conflito na Síria acabaram de fazer mais uma vítima, desta vez, trata-se de uma criança recém nascida. Batizada com o nome de Amel, que representa “Esperança”, a menina nasceu na última semana, na cidade de Aleppo. A criança apresenta uma cicatriz na testa, causada pelos estilhaços de um explosivo que acabou perfurando o útero de sua mãe. Essa comovente história é mais uma das inúmeras tragédias originadas por atos desumanos provocados pelo regime do ditador sírio Bashar al-Assad. Além de ceifar centenas de milhares de vidas, os sobreviventes são obrigados a abandonarem seus lares. Em meio a isso tudo, os líderes europeus se veem obrigados a adotar medidas para conter a imigração em massa.

Publicidade
Publicidade

Na última semana, um ataque do exército sírio acabou destruindo muitas casas em uma região residencial no centro de Aleppo. A bomba teria atingido a casa onde a mãe da criança, Amira, vivia com seus três filhos. A mulher, que estava grávida do quarto filho, ficou gravemente ferida por conta da ofensiva e precisou ser levada imediatamente para o hospital mais próximo. No local, os médicos realizaram uma operação de emergência na tentativa de salvar o feto. Felizmente, acabou tudo bem para mãe e filha.

Segundo o assessor de imprensa do hospital, quando a mulher entrou na emergência, aparentava estar muito triste e desorientada. Seus três filhos apresentavam alguns ferimentos leves, mas  Amira teve o rosto atingido pelos estilhaços, além de ter todo corpo machucado. “Ela sangrava bastante, inclusive na região do abdômen''. Com receio de perderem a mãe e o bebê, a equipe médica optou em realizar uma operação de laparotomia.

Publicidade

A equipe ficou surpresa após retirar a criança do útero da mãe e perceberam que ela possuía um pedaço dos estilhaços na testa. O objeto havia perfurado o útero da mãe, atingindo a criança, afirmaram os médicos para uma equipe de reportagem da CNN. Os especialistas conseguiram retirar os fragmentos da testa da criança. ''É difícil explicar se a criança salvou a vida da mãe, ou se a mãe salvou a vida da criança, mas todo mundo sabe que este regime cruel, tentou vitimar as duas'', afirmou um dos médicos responsáveis pela operação.

Em nota, a ONU emitiu um comunicado afirmando que a crise humanitária na Síria está piorando cada vez mais. Na semana passada, um vídeo gravado durante a operação da paciente foi publicado em redes sociais. Depois que a criança nasceu e começou choramingar, a equipe médica comemorou muito dizendo: “Louvado seja Deus, a criança está viva”, concluiu um dos médicos fazendo referências a Bashar al-Assad.“A criança nem havia nascido e já tornou-se uma vítima do regime sírio'', afirmou o Dr. Mohammed Tabbaa, o qual faz parte da equipe médica responsável por efetuar a cirurgia. “Esta é apenas uma das situações que enfrentamos dia pós dia. Espero que um dia este bebê tenha um futuro melhor que o nosso'' concluiu. #Curiosidades #Guerra Civil