Em Marselha, uma das maiores cidades francesas, mais um tiroteio em plena rua lançou o terror em alguns habitantes. Tal como informa o “Jornal de Notícias”, as autoridades revelaram os pormenores do que de macabro aconteceu durante o tiroteio que matou duas pessoas e que deixou uma menor à beira da morte. Segundo a polícia francesa, o autor do #Crime, em um espaço de poucos minutos, matou os dois homens enquanto eles estavam parados dentro do seu carro, sendo que a adolescente de apenas 14 anos acabou sendo gravemente ferida quando estava perto do local do crime.

Em uma altura em que acontece a Eurocopa e que todas as atenções das autoridades francesas estão centradas no hooliganismo das torcidas da Rússia e Inglaterra, e também no risco iminente de um possível atentado terrorista durante as competições, a verdade é que têm sido os crimes domésticos que estão causando muitos problemas aos policiais, principalmente em Marselha.

Como informa a imprensa francesa, só na cidade ao sul de França já foram confirmadas dezesseis mortes causadas por tiroteios, sobretudo protagonizados por negócios que envolvem o tráfico de drogas e também ajustes de contas.

Publicidade
Publicidade

Contudo, dessa vez, apesar de não estar confirmado o motivo para mais um tiroteio no meio da rua, as autoridades sabem que o autor sabia perfeitamente quem seriam as suas vítimas, se deslocando ao veículo onde ambas estavam e as matando, em um dos bairros considerados mais perigosos de Marselha. A grande chave para todo o crime poderá mesmo ser a jovem de 14 anos, que acabou sendo também atingida e que nesse momento está lutando pela vida em um hospital local.

Nas redes sociais, muitos imigrantes portugueses que vivem na França garantem estar em choque pela falta de segurança que as autoridades francesas têm demonstrado nas últimas semanas, sobretudo depois da destruição provocada pelas torcidas russas e inglesas durante a Eurocopa terem se tornado completamente virais em todo o mundo, expondo de uma forma preocupante todas as debilidades das polícias de várias cidades francesas, que estariam apenas preparadas para impedir ataques terroristas iminentes e não a violência descontrolada de outros europeus.

Publicidade

#Europa #Investigação Criminal