O massacre ocorreu no domingo (12), matando 49 pessoas em uma casa noturna para o público LGBT, em Orlando. Foi considerado o pior ataque a tiros dos Estados Unidos, deixando dezenas de famílias em luto. Enquanto isso, alguns evangélicos fazem discurso de ódio nas pregações e redes sociais, afirmando que o que ocorreu foi uma providência divina. Confira as declarações dos líderes religiosos de extrema direita:

"Alegrem-se com a morte dos gays"

A afirmação foi feita em uma pregação do pastor Roger Jimenez, da Igreja Batista da Verdade, da cidade de Sacramento, na Califórnia.

"Homossexuais são pecadores como os pedófilos"

Pr.

Publicidade
Publicidade

Jimenez divulgou seu discurso no YouTube, mas, após várias denúncias, o vídeo foi retirado. No sermão ele diz que os gays são sodomitas e pecadores como os pedófilos.

"A cidade fica mais segura sem gays e lésbicas"

Jimenez disse que a sociedade deve se alegrar, que a notícia das mortes no massacre pode trazer paz e segurança para a população da cidade de Orlando.

"O governo deveria matar todos os homossexuais"

A emissora CBS revelou que Jimenez é totalmente a favor de crimes de assassinatos contra gays, dando uma solução rápida e eficaz, disseminando a ideia que o governo deveria colocar todos homossexuais em um paredão para serem fuzilados.

"O assassino foi enviado de Deus para dizimar gays"

Igreja Batista Westboro é anti-LGBT e faz discursos de ódio na internet. No Twitter, publicou uma mensagem dizendo que Deus mandou o atirador na boate gay.

Publicidade

Esta denominação também tem um site com título de “Deus odeia veados”.

"A sociedade só tem a ganhar com a morte dos gays"

O prefeito de Sacramento, não concordou com o posicionamento do pr. Jimenez. Disse que não acredita que esses valores sejam cristãos. Que esse tipo de pensamento não deve ocorrer na sociedade.

"Não se entristeçam com a morte de pecadores"

Steven Anderson, da Igreja Batista Palavra Fiel, no Arizona afirmou que as pessoas mortas no massacre iriam morrer de qualquer forma, seja por assassinato ou por doenças venéreas.

"Vamos apoiar mais massacres como esses"

Jimenez se defendeu, dizendo que ele tem liberdade de culto e de expressão, por isso pode falar abertamente sua opinião sobre o massacre e qualquer outro tipo de morte envolvendo gays e lésbicas, pois tem respaldo bíblico para isso. Ao final entrou em contradição dizendo que seu discurso foi distorcido.

O diretor do centro LGBT de Los Angeles afirmou que já ouviu muitos comentários semelhantes vindos dessa comunidade religiosa. Ele ainda afirmou que eles não matam ninguém, mas que seus discursos de ódio também podem ferir. #Crime #EUA #Fanatismo religioso