Mir Seddique, pai de Omar Mateen, conversou neste domingo, 12, com diversos veículos norte-americanos. O filho dele seria o autor do maior tiroteio já registrado em toda a história americana. Ele matou pelo menos 50 pessoas em uma boate voltada ao público homossexual na cidade de Orlando, no estado da Flórida, nos Estados Unidos. Outras 53 pessoas ficaram feriadas. Nem mesmo em períodos de guerrilhas internas, tantos mortos teriam sido registrados em um único dia na América.

Desde 2001, quando houve o ataque às torres gêmeas, os Estados Unidos não tem tantos americanos mortos em um único só ato. Mir Seddique revelou que a família é de fé islâmica.

Publicidade
Publicidade

No entanto, ele fez questão de dizer que o ato do filho não teria nada a ver com a religião. Apedar disso, já existe um público muito grande na América que é considerado xenofóbico. Isso aumentou depois de 2001, quando a Al-Qaeda, comandada por Osama Bin Laden, atacou a maior potência do planeta. Cerca de 3 mil pessoas morreram em um único dia.

O medo agora é que uma guerra religiosa se acentue na região, especialmente porque estão cada vez mais frequentes atentados terroristas fora de regiões de conflito. Neste ano, a França foi mais uma vez vítima de ações comandadas pelo Estado Islâmico. O grupo terrorista ameaçou por meio de carta milhares de pessoas. A maioria delas americanas. 

Para acirrar a preocupação das pessoas que moram nos Estados Unidos, qualquer um pode comprar uma arma. Caso a compra seja realizada em lojas, basta comprovar antecedentes criminais.

Publicidade

Não existe, por exemplo, um requisito de curso de tiro para a compra. Também não é proibido que a arma seja comprado por terceiros. Por exemplo, você pode vender uma arma para qualquer pessoa sem pedir seus antecedentes criminais. 

Evitando começar uma guerra religiosa, autoridades americanas ainda veem o ato como algo isolado. O pai do atirador confessou no último ano que seu filho começou a ser muito homofóbico. Ele teria tido um ataque ao ver dois homens se beijando em uma praia.  #Crime #Investigação Criminal