Um dos fatos mais curiosos aconteceu em Portugal, esta semana, foi o maior período já registrado em que um feto sobreviveu no útero de uma mulher que estava com morte cerebral. Ela se encontrava hospitalizada e vivendo artificialmente, há mais de 3 meses, tudo para que o bebê nascesse bem e saudável.

Segundo fontes do Centro Hospitalar de Lisboa, a paciente, de apenas 37 anos, sofreu uma hemorragia intracerebral no início do ano, no mês de fevereiro. Desde então, ela estava sendo mantida apenas com aparelhos.

Como a gestação da paciente não foi prejudicada e ainda estava em curso, os especialistas da obstetrícia do hospital avaliaram o feto todo esse tempo e perceberam que ele apresentava perfeita saúde e condições para sobreviver.

Publicidade
Publicidade

Depois de uma decisão importante da Comissão de Ética da Clínica, em conjunto com os familiares paternos do bebê, foi feito um acordo de aguardar até a 32ª semana de gravidez para realizar o parto, a fim de garantir a viabilidade do feto.

A cesariana aconteceu nesta terça (7). Tudo foi muito bem programado e planejado pela equipe de obstetrícia. A criança, com 32 semanas, nasceu no Hospital de São José, pesando 2,350 kg e foi internada na #Maternidade Alfredo Costa da mesma unidade de saúde, no setor de Cuidados Intensivos Neonatais.

Casos assim como esse são muito raros, tanto que só em Portugal a última vez que ocorreu um milagre similar foi em 2007, no Hospital de Santa Maria. Sendo que, daquela vez, o bebê só conseguiu sobreviver até 17 semanas, segundo Luís Mendes da Graça, presidente da Sociedade Portuguesa de Obstetrícia.

Publicidade

O especialista Luís Mendes ainda explicou que, desde que o coração da mãe esteja batendo, se ela ainda for devidamente oxigenada e alimentada, a criança poderá ter grandes chances de continuar a se desenvolver como se ela ainda vivesse. “Para o feto, se a circulação útero placentária estiver funcionando, para ele está tudo bem”, afirmou o médico.

Para os médicos, o fato do bebê ter sobrevivido a tanto tempo se deve aos cuidados intensivos que a mãe recebeu durante a internação até o parto. Por isso, o grande mérito é da equipe que cuidou dela, gerando assim um grande milagre com uma grande ajuda da #Medicina. #Curiosidades