A imprensa americana exibiu nesta quinta-feira (16) um novo vídeo do ataque terrorista à boate Pulse, em Orlando, nos Estados Unidos. O ataque aconteceu no último final de semana e deixou 49 mortos, tornando-se o maior #Ataque Terrorista em solo americano desde o 11/09/2011. O vídeo, gravado por um dos sobreviventes do atentado, Miguel Leiva, mostra várias pessoas escondidas em um dos banheiros da casa noturna. As pessoas estão espremidas dentro de um dos boxes do banheiro, algumas já baleadas. Apesar do momento de pânico, as pessoas dividem um copo de água e tentam manter umas às outras calmas e em silêncio, para que o atirador não soubesse que estavam vivas. Elas ficaram nesta posição por três horas, sussurrando umas com as outras. 

"Tinha um rapaz, Chris, que estava se engasgando com o próprio sangue, então queríamos dar um pouco de água pra ele engolir o sangue", explicou Leiva.

Publicidade
Publicidade

O atirador chegou a disparar duas vezes em direção ao box onde os sobreviventes se escondiam. É possível ouvir, no vídeo, uma voz feminina falando para alguém: "fique comigo", um apelo para que alguém já ferido não morresse. 

"Estava fazendo muito calor lá dentro, cheirava a sangue e havia mortos por todos os lados", disse Leiva à rede de TV CNN. Do lado de fora do banheiro, muitas pessoas estavam sendo resgatadas pela Swat, mas não havia uma rota de fuga entre o banheiro e os policiais. Caso saíssem dali, as pessoas poderiam ser mortas. "Decidi gravar o vídeo caso eu morresse. Assim as pessoas iriam saber o que aconteceu", afirmou Leiva. "Minha roupa estava ensopada de sangue. Estávamos sentados em uma grande poça de sangue. Depois de um tempo, quando começou a secar, o cheiro daquilo se tornou horrível", contou.

Publicidade

No vídeo é possível ver algumas pessoas falando e se movendo, enquanto outras permanecem imóveis. De acordo com Leiva, das 17 pessoas que estavam no banheiro junto com ele, apenas cinco ou seis saíram com vida. O próprio cinegrafista chegou a ser baleado no pé direito e na perna esquerda. 

Assista:

#Terrorismo #Homofobia