Após o atentado que matou 50 pessoas na boate Pulse, localizada no centro da cidade de Orlando, Flórida, muitas pessoas estão se manifestando para que os 53 feridos que estão internados no hospital local possam receber tratamento adequado, evitando que o número de mortos aumente. Até mesmo celebridades e autoridades de todo o mundo estão se mobilizando para que as vítimas do atirador Omar Mateen, morto pela polícia na saída do clube, possam receber remédios e sangue doado. Dessa vez, quem se destacou foi a banda de punk-pop Panic At The Disco, de origem norte-americana. O grupo é conhecido por ser pró-causas LGBT.

Panic postou em sua página oficial do Facebook uma mensagem em inglês pedindo doação de sangue para as vítimas do atentado homofóbico em Orlando.

Publicidade
Publicidade

No cartaz, que está sendo compartilhado por fãs e pessoas que se comoveram com a tragédia, está escrito: "As vítimas do tiroteio no clube noturno de Orlando estão em desespero precisando de doações de sangue". Até o momento da publicação desta reportagem, a imagem já foi compartilhada mais de 370 vezes e conta com mais de 6.500 mil curtidas.

Junto com a divulgação, a banda anunciou que está programando um dia de doação de sangue para os feridos hospitalizados de Orlando na fila do show que eles realizam hoje, em Miami. A ideia surgiu em parceria com o grupo "One Blood", responsável por fazer a coleta de sangue nos Estados Unidos. Eles ficarão na porta do show atendendo aos interessados em ajudar, e a banda prometeu fazer o máximo de esforço para que os litros necessários para ajudar os pacientes vítimas do #Crime de homofobia sejam completados.

Publicidade

O local do show é o Bayfront Park Amphitheater. Os interessados podem doar entre às 15h e 19h. Para poder se oferecer é preciso ser maior de 16 anos de idade, e, caso seja menor de idade, deverá ter consentimento dos pais por escrito ou presencialmente. Os maiores de 17 anos apenas precisam apresentar um documento de identidade. Além disso, é necessário pesar mais de 50 kg e estar sóbrio.

Segundo a polícia e a prefeitura local, o massacre na boate Pulse tiveram motivação banal. Omar Mateen, de acordo com seu pai, tinha ódio de homossexuais e foi ao local para matá-los. Contudo, frequentadores locais dizem que o rapaz foi para a Pulse outras vezes e até era usuário de aplicativos de relacionamento gays, como o Grindr. Para ajudar as famílias e amigos a identificar os mortos, a polícia local divulgou imagens das vítimas fatais. #Famosos #EUA