O papa Francisco falou através de um comunicado enviado neste domingo, 12, para a imprensa de todo o mundo, sobre o atentado terrorista que aconteceu na madrugada nos Estados Unidos. Ele classificou como "manifestação de loucura homicida e ódio insensato" a atitude de um homem de origem afegã e muçulmano, já confirmado como o ator do crime em uma boate homossexual. Ele foi responsável pela morte de 50 mortes e o ferimento de outras 53 pessoas. Esse número pode aumentar, já que boa parte das vítimas precisou passar por cirurgias de emergência. 

Além do #Papa Francisco, quem falou sobre o atentado foi o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.

Publicidade
Publicidade

Ele chamou o atentado terrorista, já reivindicado pelo Estado Islâmico, como mais um terrível crime feito contra inocentes. A atitude da Igreja Católica dividiu opiniões, já que boa parte da comunidade gay se sente atacada pelos dogmas milenares do catolicismo.

Federico Lombardo disse que o atentado causou em todos uma profunda perturbação e também relatou que a manifestação do terrorista era um ódio sem qualquer sentido. O comunicado enviado pelo Vaticano revelou ainda que o Papa Francisco se uniria em compaixão com todos. Francisco disse que rezaria pelos 50 mortos, 53 feridos e pelas famílias e amigos desses. De acordo com a igreja, a oração seria no sentido para que essas pessoas procurem um consolo em meio à essa terrível perda. 

"Todos esperamos que seja possível identificar e contrastar com eficácia o mais breve possível as causas desta violência horrível e absurda", diz um trecho do texto enviado à imprensa mundial e repercutido aqui no Brasil por agências internacionais de notícias.

Publicidade

Segundo a Igreja, o atentado perturba fortemente a esperança da paz não só nos Estados Unidos, mas também em todo o planeta terra.

Até o fechamento dessa reportagem, a Polícia Federal americana, o FBI, não confirmava oficialmente que se tratava de um ataque terrorista, mas garantiu que is indícios eram muito fortes para que assim fosse. O presidente Barack Obama pediu união da nação americana.  #Terrorismo