Quem tem um papagaio em casa já sabe, o animalzinho consegue ser muito esperto. Muita gente acredita que a ave só sabe repetir tudo o que vê, mas é comum, por exemplo, ver o bichinho dedurar um membro da família por algum erro. Pensando nisso, a justiça americana pode usar exatamente um Papagaio para solucionar um mistério envolvendo um #Crime de assassinato. A informação ganhou repercussão nesta segunda-feira, 27, pelo site da Revista 'Veja'. 

O assassinado em questão envolve uma família. Aos 48 anos de idade, Glenna Duram, é a principal acusada de matar o próprio marido. Martin Duram foi barbaramente assassinado com cinco tiros em maio de 2015.

Publicidade
Publicidade

O papagaio de estimação do casal, de nome Bug, testemunhou tudo o que aconteceu e já até disse o que aconteceu minutos antes do crime acontecer. A fala do papagaio agora pode inocentar ou colocar a dona de vez na lista de suspeitos. 

O dono do papagaio foi morto na própria casa, na cidade de Sand Lake. Quando a Polícia chegou, a mulher dele, principal suspeita, estava deitada ao seu lado, ainda viva e com um tiro na cabeça. Bud teria reproduzido as vozes do casal, inclusive conseguindo fazer impostações femininas e masculinas, o que mostraria um diálogo dos dois minutos antes do assassinato. 

"Saia daqui", começa o papagaio imitando a voz do seu dono. A família, temendo que o bichinho morresse ou perdesse a memória, decidiu gravar um vídeo com a reprodução das falas do animal. "Para onde eu vou??", continua a ave, dessa vez imitando a voz de sua dona.

Publicidade

Em seguida, ele volta a fazer a voz masculina, dessa vez, xingando um palavrão e pedindo que não atirassem. 

A mãe do homem morto, Lilian Duram, revelou à uma emissora local. Parentes do falecido agora tomam conta do papagaio, mas avisam, ele tem a boca muito suja e reproduz o que de pior ocorre na família. Brigas seria lembradas pelo bichinho, assim como gritos. A Promotoria americana diz que está levando em consideração as palavras de Bud, mas que ainda não estudou se o depoimento dele vai mesmo valer para incriminar a própria dona.

"É uma novidade interessante e tem sido uma grande oportunidade para eu aprender sobre papagaios", disse um procurador da região. #Investigação Criminal