Depois do massacre vivido em uma boate gay em Orlando, onde morreram 49 pessoas e muitas outras ficaram feridas com gravidade, muitas foram as palavras de apoio e solidariedade para com as vítimas, condenando o ato cometido por Omar Mateen. Mas nem todos lamentam a tragédia. O pastor Roger Jimenez, da igreja "Batista da Verdade", localizada na cidade de Sacramento, na Califórnia, e seus comentários chocam o mundo tanto quanto a atitude do atirador.

O pastor fez uma pregação que foi gravada, sendo que depois o vídeo ainda foi publicado no Youtube para que todos pudessem conhecer suas "orientações". Só que foram tantas as críticas, que a igreja Batista da Verdade preferiu excluir o vídeo, só que aí já era tarde demais porque a comunidade LGBT já tinha tomado consciência do fato e começou um protesto generalizado.

Publicidade
Publicidade

Durante a pregação, o pastor chamou as pessoas gays de sodomitas e ainda as comparou a pedófilos dizendo que algumas pessoas chegaram até ele e perguntaram se teria ficado triste "com a morte de 50 sodomitas" ao que ele diz que é como se o perguntasse: "Está feliz com a morte de 50 pedófilos?"

A resposta do pastor é que a morte das pessoas na boate gay "Pulse" lhe parece ótimo e que na opinião dele até ajuda a sociedade, concluindo que agora a cidade de Orlando está até mais segura.

Mas as atrocidades do pastor não param por aí e ele se mostra a favor do assassinato de gays afirmando que se os Estados Unidos tivesse um "governo direito", todos os gays seriam colocados em um paredão para serem fuzilados e terem seus miolos estourados.

O prefeito de Sacramento se pronunciou a respeito e disse que os comentários deste pastor de forma alguma refletiam os valores cristãos e que pessoas como esta não têm lugar na sociedade americana.

Publicidade

O pastor ainda se justificou alegando que ele apenas citou trechos da bíblia em seu sermão e que há muitos americanos que pensam como ele. Há várias pessoas se organizando agora para entrar com um processo na Justiça contra Roger Jimenez.

Deixe abaixo seu comentário sobre a atitude deste pastor. #Crime #Violência #Comportamento