Uma professora de 24 anos, está sendo acusada de abuso sexual por ter mantido um relacionamento amoroso com um de seus alunos de apenas 13 anos. Segundo o jornal Extra, ela está foragida e a polícia busca informações sobre seu paradeiro.

Professora teve um caso com aluno de 13 anos

A professora Alexandria Vera, de 24 anos, está sendo procurada pela polícia do Texas, nos Estados Unidos, pois ela é acusada de abuso sexual contínuo de uma criança de 13 anos, que era seu aluno.

A jovem professora, confessou no tribunal que mantinha um relacionamento sexual, com seu aluno de 13 anos desde o mês de setembro do último ano e que durante seu evolvimento com o garoto, acabou engravidando do mesmo.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a rede de TV "KPRC", ela relatou aos promotores que quando o aluno não esteve apresentou para a  aula, na Stovall Middle School, em Houston, ela se aproximou dele e passou o número do seu telefone para o mesmo. Foi assim, segundo a professora que eles começaram a se "relacionar". 

Alexandria, ainda confirmou que eles mantinham relações sexuais quase que diariamente. E que o aluno tomou a iniciativa, a convidando para sair e ela aceitou. No dia seguinte ao convite, ela teria levado o jovem até a sua casa e eles teriam se beijado no carro. Já no outro dia, ela foi até a casa do seu aluno, pois sabia que os pais do garoto estavam fora. E foi nesse encontro que eles tiveram a primeira relação sexual.

A professora também afirmou que os pais do aluno sabiam e apoiavam o "relacionamento" deles.

Publicidade

A jovem disse que estava animada com a chegada do bebê, pois ela já tem uma filha. Contudo ela teve um aborto, pois ficou muito abalada, quando o serviço de proteção a criança a procurou na #Escola depois de uma denúncia. 

Assim que a professora foi acusada de abuso sexual, em abril deste ano, ela foi afastada da escola de imediato, sendo colocada em licença administrativa, ainda segundo informações da rede de TV "KPRC. 

A polícia continua investigando o caso, averiguando inclusive se os pais do garoto foram coniventes com os abusos. #Crime #Casos de polícia