O jornal americano “The New York Times” noticiou na sua edição desta terça (31) que pelo menos 26 mulheres, que participavam em um festival de música em Berlim, foram assediadas sexualmente e foram mesmo vítimas de tentativas de estupro por parte de refugiados. O jornal diz que foi a própria polícia da cidade quem, através de um porta-voz, denunciou o caso aos meios de comunicação social.

O incidente aconteceu no último sábado e, segundo os relatos das mulheres, vários grupos com mais de 10 homens aproximavam-se e dançavam perto delas. Durante a dança, muitos tentavam tocar-lhes de uma maneira imprópria, enquanto faziam tentativas de aproximação sexual.

Publicidade
Publicidade

Logo após os acontecimentos, que se deram na noite do último sábado (28), três das vítimas apresentaram queixa na polícia. Os policiais procuraram de imediato os suspeitos e conseguiram deter três deles, homens com idades entre os 28 e os 31 anos, que foram identificados como sendo refugiados do Paquistão.

Entretanto, nos últimos dias, o caso ganhou alguma visibilidade nos meios de comunicação da Alemanha. Depois das primeiras notícias sobre os abusos terem sido publicadas, outras 15 mulheres que tinham sido vítimas ganharam coragem e decidiram também apresentar queixa nas autoridades. Depois de mais essa dezena e meia de testemunhos, ficou então claro, para os investigadores, que os autores dos crimes foram homens aparentemente com origem no sul da Ásia, sendo muito provável que todos eles sejam #Refugiados.

Publicidade

Desde o início do ano que as autoridades alemãs têm estado vigilantes em relação aos abusos sexuais cometidos por estrangeiros. Na noite da passagem de ano, na cidade de Colônia, centenas de mulheres apresentaram queixa na polícia depois de terem sido vítimas de abusos sexuais. Também aqui ficou provado que os autores dos crimes foram cidadãos estrangeiros, muito provavelmente com origem no Norte de África.

No início de maio, várias mulheres que participavam em um evento cultural, também na capital Berlim, reportaram na polícia terem sido vítimas de abusos sexuais. Na altura, as autoridades receberam cerca de doze denúncias.

Devido a todos esses casos que têm chocado a opinião publica alemã, a polícia do país está mais atenta do que nunca aos assédios e abusos sexuais. É cada vez mais normal ver centenas de policiais vigiando todos os eventos públicos em que participem muitas mulheres.

O que você acha sobre mais esse acontecimento na Alemanha? Acha que os refugiados têm vindo a contribuir para o aumento desse tipo de crimes naquele país? Escreva a sua opinião nos comentários! #Europa #Crime