O jornal extra repercutiu neste domingo, 26, um caso que está causando revolta na internet brasileira. As imagens mostram uma tartaruga sendo retirada da água do mar. Apesar da revolta também ter atingido os brasileiros, o caso, na verdade não ocorreu em nosso litoral, mas sim na praia de Havana, no Líbano. A praia fica na região de Rmeileh. A ação foi registrada no dia 14 de julho e ganhou destaque graças à repercussão do jornal inglês 'The Mirror'. A tartaruga, segundo a publicação britância, está em tratamento veterinário. O animal foi resgatado depois de ser retirado da água para uma sessão de selfies com turistas. 

As fotos foram enviadas ao jornal pela Organização não Governamental (ONG) 'Green Area'.

Publicidade
Publicidade

A ONG trabalha para conservar justamente a vida marinha da região onde a tartaruga foi retirada pelos turistas. As imagens revoltantes mostram até uma família ensinando uma criança a "cavalgar" em cima do bicho, que costuma viver em média 100 anos.

A 'Green Area' está fazendo uma campanha forte nas redes sociais. A Organização publicou vídeos e fotos que mostram o ser marinho com machucados na cabeça. A  ONG ainda acusa alguns turistas de terem realizado agressões contra o animal, que após passar por momentos difíceis foi salvo pelos ativistas. 

Após o resgate, começou o tratamento. De acordo com o jornal 'Extra', os veterinários afirmaram que vão tratar o bicho até que ele se cure e tenha capacidade de ter uma vida normal no mar. Os veterinários disseram que o animal teria ido à praia libanesa para desovar o que seriam em breve novas tartarugas.

Publicidade

A região é conhecida por ser um local predileto para esse tipo de ação que faz parte do sistema da natureza. 

O Líbano tem uma legislação forte contra agressões contra animais. Baleias e tartarugas estão em uma lista de "protegidas". No entanto, até o momento, ninguém teria sido punido. "Essas pessoas precisam aprender a noção do ridículo. Tenho certeza que ninguém gostaria de ser agarrado para tirar fotos com gente que não conhece. Esse animal poderia ter sido morto", disse uma internauta revoltada.  #Crime #Investigação Criminal