De acordo com o jornal turco “Hurriyet”, o tribunal de justiça da Turquia ordenou nesta terça-feira (21) a libertação de Cilem Karabulut, presa após matar o marido de 33 anos, Hassan Karabulut, após anos sofrendo de violência conjugal.

A jovem de 24 anos tornou-se símbolo do combate contra a violência feminina na Turquia após ser condenada no início de junho deste ano a 15 anos de prisão pela morte do marido, ocorrida no ano de 2015.

De acordo com militantes feministas que exigiam a libertação de Cilem, a jovem, que além de sofrer com a violência do marido era obrigada por ele a se prostituir, ganhou a liberdade pelos argumentos de que o #Crime foi realizada em defesa própria e de que a justiça deveria considerar isso para tomar a sua decisão.

Publicidade
Publicidade

O tribunal ordenou a libertação da jovem, mas apenas após o pagamento de fiança no valor de 50 mil liras turcas, o que na cotação atual é equivalente a quase R$ 60 mil.

A realidade vivida por Cilem é a mesma da de muitas mulheres turcas, que veem nela um símbolo de força para continuar a batalha por uma vida mais justa. Após a liberdade, Cilem, que havia sido mantida presa por quase um ano, declarou que irão seguir na luta pelo direito das mulheres no país e que brigarão por cada uma delas.

Caso vira símbolo na Turquia

A história de Cilem ganhou destaque local e tornou-se um símbolo para todas as mulheres do país devido a atitude desafiadora da jovem, que quando presa, vestia uma camiseta com a frase “querido passado, obrigada por todas as lições. Querido futuro, estou pronta!”

As críticas a respeito da violência contra a mulher na Turquia vêm cada vez mais ganhando repercussão.

Publicidade

No país onde centenas morrem por ano em decorrência de violência doméstica, foram registradas até agora, em 2016, 113 mortes de mulheres, algo relativamente menor do que os 291 casos vistos no ano passado.

Qual a sua opinião sobre a vitória de Cilem nos tribunais e a batalha que as mulheres enfrentam por justiça na Turquia? Opine a seguir e compartilhe esta notícia!   #Europa