Enquanto aqui no Brasil as pessoas estão assustas e revoltadas com o estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro, onde mais de 30 homens teriam violentado uma jovem de 16 anos, lá nos Estados Unidos eles estão chocados com um caso parecido, onde uma menina de 15 anos teria sido estuprada por 25 homens.

O vídeo e algumas fotos acabaram sendo compartilhados nas redes sociais e mostram claramente o momento em que a menina é abusada sexualmente por vários estudantes. O #Crime aconteceu no banheiro de uma escola, a "South Fort Myers High Scholl", localizada em Fort Myers, na Flórida e o caso já ganhou repercussão internacional.

Publicidade
Publicidade

As câmeras de segurança da escola chegaram a filmar o momento exato em que 25 jovens entram no banheiro, onde a menina já estava, e a violentaram. E como aconteceu aqui no Brasil, lá nos Estados Unidos foram muitos os comentários que criticavam o comportamento da garota e não dos rapazes envolvidos no estupro coletivo.

Mas uma informação acabou mudando completamente o rumo das investigações, pois uma outra jovem, amiga da que foi abusada, deu uma entrevista para a rede de televisão NBC e contou que sua colega era vítima de tráfico humano e também de abuso sexual. Com esta informação, a polícia teve que refazer toda a investigação e o caso agora ganhou novos rumos.

Megan Estrem, responsável pela ONG "Be the Light", disse que, no momento em que a menina entrou no banheiro, ela não tinha condições de "tomar uma decisão estável e racional".

Publicidade

A jovem estuprada pelos 25 jovens foi prisioneira do tráfico humano dos 13 aos 15 anos e quando, finalmente foi libertada, precisou passar por várias terapias e agora estava na escola tentando recomeçar uma nova vida. De acordo com a mãe da jovem, ela foi ao banheiro somente com um rapaz, pelo qual ela tinha interesse e os demais jovens foram atrás deles.

Ainda, de acordo com a mãe da jovem, ela não chegou a ser abusada pelos 25 rapazes, pois a maioria ficou apenas vendo.

A escola já puniu 16 dos estudantes envolvidos e o que postou o vídeo na internet já foi preso. #Violência