São poucas as certezas que temos na vida. Entre elas, estão nascer, morrer e que todo mundo foi gerado por uma mulher, uma mãe. Muita gente acaba não sendo criada pela mãe biológica, mas a maioria passa pelo mesmo processo. Muito carinho, aconchego e cuidado. Um desses cuidados envolve a amamentação. No entanto, uma mãe e o seu bebê passaram por momentos de apuros nessa semana. A mulher estava na praça de alimentação de um loja amamentando seu rebento, quando um homem parecendo estar horrorizado apareceu.

Ele questiona a mãe e pede para ela fazer tal ato, de dar de comer a seu filho, em outro lugar. A mulher então respondeu que era um direito dela estar ali e dar alimento para o seu filho, condenando a represália à criança.

Publicidade
Publicidade

A vítima foi identificada como Jessie Maher. Após Jessie brigar com o homem, ele se irritou e foi até à mesa dela. O irritado começou a aumentar o tom de voz, preocupando a todos que estavam no recinto. Os clientes do estabelecimento, no entanto, colocaram o homem para correr. Eles tinham medo de que a mulher fosse até agredida fisicamente. 

Mais tarde, no Facebook, a mulher postou um vídeo com um trecho da agressão filmada por um dos clientes. Ela revelou que foi xingada de nojenta e prostituta. Após começarem os xingamentos, o vídeo foi gravado. É possível ouvir o agressor brigando com outra mulher na publicação. Ela fala para ele que a criança precisa comer e o melhor é que a amamentação seja a mais natural possível. O homem, que não foi identificado, continua bravo. Ele diz que aquele não era lugar para uma mulher estar com o seio para fora.

Publicidade

Vendo que era voto vencido, o homem também ofende outros clientes do restaurante 

A mãe do neném então diz que seu agressor é um louco. Curiosamente, o bebê parecia não legar para o que acontecia e dormia um sono profundo no colo de sua progenitora. Até agora, o vídeo com o momento da confusão tem mais de 8 milhões de exibições apenas no Facebook.

Veja abaixo o vídeo com o momento da confusão que ganhou as redes sociais:

#Crime #Investigação Criminal