O ataque terrorista que matou 50 pessoas na boate Pulse, em Orlando, na Flórida (EUA), na madrugada do último domingo (12), teve seu início registrado por uma estudante de enfermagem que transmitia as imagens do local na rede social Snapchat.

Amanda Alvear, jovem de 25 anos, técnica farmacêutica e moradora da cidade de Davenport, gravava o vídeo quando cerca de 17 disparos interromperam sua narrativa e a transmissão que ela fazia em seu celular.

Segundo seu irmão, Brian, após notar que estava acontecendo um tiroteio no interior da boate, Amanda se refugiou em um dos banheiros da casa e ela mesma teria dado a informação a ele, por telefone, antes de ser executada pelo norte-americano Omar Mateen, de 29 anos, assassinado horas depois pela polícia.

Publicidade
Publicidade

A vítima e sua história

O perfil de Amanda remete à uma garota feliz, apaixonada por suas sobrinhas e com um futuro promissor em sua carreira ligada à medicina. Ela era técnica de farmácia e cursava escola de enfermagem na Florida International University, no sul da Florida.

Vaidosa e sempre ligada às mudanças do mundo da moda, Amanda Alvear havia perdido mais de 80 quilos em um processo que ela registrou com fotos publicadas em sua conta no Facebook. Brian disse que a irmã estava muito satisfeita com o novo posicionamento que adquiriu sobre sua qualidade de vida e era uma pessoa preocupada com sua aparência.

Ainda segundo o irmão, se pudesse escolher, Amanda certamente iria preferir que a tragédia que a vitimou fatalmente servisse apenas para espalhar o amor e não como uma oportunidade para disseminação do ódio.

Publicidade

Ashley Félez, outra irmã de Amanda, disse à imprensa que os sorrisos da jovem tornavam os dias das pessoas melhores. Ashley contou também que a irmã era a madrinha de batismo de sua filha mais nova.

Outros familiares e amigos de Amanda Alvear manifestaram pesar nas redes sociais.

O trauma

O massacre à boate Pulse, frequentada por gays, é o pior ataque da história dos Estados Unidos desde 11 de setembro de 2001, quando atentados às torres gêmeas World Trade Center e ao Pentágono deixaram cerca de 3 mil mortos.

Desta vez, 50 pessoas foram mortas e outras 53 ficaram feridas após os tiros disparados por Omar Mateen.

O Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, informou que não havia brasileiros no interior da casa noturna.

Veja o vídeo que registra o momento dos primeiros disparos dentro da boate Pulse.

#Terrorismo #Crime #Ataque Terrorista