Todos os dias nos deparamos com diversas notícias de crime. Muitas acabam nos surpreendendo, especialmente aquelas pessoas que felizmente vivem longe da violência. No entanto, existem atos que geram repulsa até mesmo em quem trabalha todos os dias com isso, como policiais. Até eles são capazes de acharem verdadeiros absurdos com histórias que acabam caindo em suas mãos. Uma dessas foi matéria nesta sexta-feira, 22, no jornal carioca 'O Globo'. Um homem acabou sendo preso na cidade de São Petersburgo, na Rússia. Ele confessou que matou uma casal. Até aí, apesar de já ser um assassino, isso não o difere de outras pessoas que são presas pelo mesmo motivo. 

Depois de matar os dois pombinhos, ele decidiu cozinhar as cabeças deles.

Publicidade
Publicidade

Tudo feito dentro do apartamento onde o criminoso morava. Ele ainda teria temperado as cabeças de suas vítimas e colocado em uma panela. O homem tinha 64 anos. Questionado sobre como teria planejado os atos, ele respondeu que teve forte inspiração de filmes de terror. A informação foi repercutida em vários sites do mundo, como o 'Metro'. Em depoimento aos policiais, ele ainda deu mais detalhes angustiantes da ação criminosa. O casal foi esquartejado com uma serra. Os restos mortais foram espalhados pela casa. 

Alguns pedaços dos corpos foram jogados no vaso sanitário do apartamento do homem que confessou o assassinato do casal. Em seguida, ele deu descarga. O sistema de esgoto da cidade russa é bastante antigo. Ele foi construído na época da Guerra Fria, quando o país ainda era a União Soviética.

Publicidade

Por isso, tubulações ficaram entupidas. Moradores revoltados com o entupimento chamaram técnicos para desobstruírem os canos. Foi aí que o #Crime começou a ser descoberto. 

Ao começar a realizar a limpeza, os técnicos acharam os pedaços dos corpos e tiveram que chamar a polícia. E você aí achando que o seu emprego era o difícil, né? O casal morto que teve os pedaços do corpo espalhados pela cidade morava com o assassino. Agentes agora estão investigando se há mais vítimas do canibal. #Investigação Criminal