Uma mulher cristã foi estuprada e torturada na frente dos próprios filhos no Paquistão. O #Crime foi praticado por um extremista muçulmano e teria sido motivado não pela fé, mas por uma questão familiar.

O crime aconteceu no dia 30 de Junho e foi divulgado no inicio da semana por sites especializados em notícias gospel. Segundo informações, o irmão da vítima se relacionou com a irmã do estuprador, e como os dois são de religiões opostas, a família seria totalmente contra o relacionamento do casal, que acabou não tendo outra alternativa a não ser fugir.

Ao buscar informações sobre o paradeiro do casal, a irmã do então cunhado se negou a passar informações, e essa teria sido a motivação para o estupro e agressões.

Publicidade
Publicidade

A família do agressor tem uma grande influência na região, o que acabou dificultando que as autoridades dessem a devida atenção que o caso requer.

Crime comum

Na região do Paquistão e boa parte do oriente médio, o crime de estupro já se tornou prática comum. Homens perversos e violentos sequestram mulheres, jovens e crianças diariamente. Elas são vendidas como escravas sexuais no mercado de tráfico humano. Outros casos bastante comuns são os de igrejas sendo invadidas por extremistas que promovem estupros coletivos na região. Os crimes são investigados pela polícia local mas na maioria dos casos não levam a lugar nenhum.

Igreja Perseguida

A organização Portas Abertas pede constantemente ajuda financeira e roupas ou qualquer tipo de apoio para missionários que atuam na região. Eles explicam que o trabalho missionário no Paquistão é muito sofrido.

Publicidade

É comum a prisão de missionários que são torturados e mortos apenas por pregar o evangelho. São pessoas que estão ali para fazer o bem, mas nem assim são poupados de crimes bárbaros e violentos.

Em todo o mundo, lideres religiosos protestam contra a #Violência no oriente médio, sobretudo contra mulheres e crianças cristãs, que são perseguidas até mesmo por seus próprios parentes.

Recentemente a Rússia proibiu que o cristianismo seja pregado na nação. A medida pode punir com multas pessoas e organizações religiosas que forem flagradas promovendo qualquer religião no país, seja por panfleto ou até mesmo na internet. #Ataque