Em Virginia, nos Estados Unidos, três homens estavam dentro de um carro e um deles gravava imagens suas cantando e fumando numa transmissão ao vivo para o Facebook, quando todos foram baleados. O episódio aconteceu nesta última terça-feira (12). Foram ouvidos cerca de trinta tiros no local.

O celular que gravava tudo caiu depois do momento do tiroteio, mas continuou captando os sons. No áudio, é possível escutar um dos rapazes pedindo ajuda para que alguém ligue para uma ambulância e, em seguida, se escuta uma pessoa fazendo uma ligação, avisando há pessoas feridas no local. Em seguida, chegar a ambulância para socorrer as vítimas.

Publicidade
Publicidade

A gravação tem duração de uma hora.

Os socorristas chegam a falar que todos os rapazes foram atingidos. Eles tiveram ferimentos na cabeça, no ombro e no braço direito.

A polícia de Virginia afirmou que, ao chegar no local do crime, os oficiais encontraram três homens dentro de um carro com ferimentos causados por tiros. Todos os três rapazes jovens, aparentando entre 27 e 29 anos, foram encaminhados para o hospital mais próximo com ferimentos graves.

Dois já se encontram fora de perigo e apenas um segue em estado grave. A polícia de Virginia ainda não se sabe o que aconteceu e o que motivou esse tiroteio. As investigações continuaram e o áudio está sendo usado nas investigações.

Outros casos semelhantes

Philando Castile, de 32 anos, morreu na última quarta-feira (06) após uma abordagem policial na cidade de Falcon Heights, quando um oficial efetuou cinco tiros contra o rapaz.

Publicidade

Sua namorada, na hora, gravou pelo celular os últimos momentos do homem depois de ser baleado.

Ela afirmou que nada pode explicar os tiros efetuados contra seu namorado e acusou a polícia de discriminação racial.

Após seu namorado ser morto, colocou as imagens nas redes sociais denunciando a #Violência contra negros nas ruas. As imagens na internet repercutiram muito, incentivando um protestos por todo país.

E em junho, outro morador da cidade de Chicago, Antonio Perkins, também foi vítima e transmitiu a própria morte no Facebook, quando foi baleado na rua enquanto fazia um vídeo. #Investigação Criminal #Racismo