A SIC, emissora de televisão de Portugal, informou que membros do grupo terrorista ISIS, conhecido como Estado Islâmico, comemoraram por meio da rede social de troca de mensagens, Telegram, o ataque que feriu dezenas e matou 73 pessoas na noite dessa quinta-feira, 14.

O ataque terrorista

O ataque aconteceu na cidade de Nice, localizada no sul da França. Essa quinta-feira é feriado no país: o Dia da Bastilha. Uma multidão de pessoas se dirigia para suas casas após as comemorações locais quando um caminhão com dois possíveis terroristas partiu para cima de todos. Além de atropelar os pedestres, os criminosos também atiraram contra elas.

Publicidade
Publicidade

A polícia trocou tiros com os criminosos, conseguindo abater o motorista do veículo, entretanto, o outro terrorista fugiu tomando rumo desconhecido. A polícia isolou toda a região da Praça Massena e orientou que as pessoas não saiam de casa.

A polícia revistou o caminhão e encontrou explosivos e fuzis, evidenciando que a dupla almejava fazer número ainda maior de vítimas.

Autoridades se mobilizam

Nesse momento o presidente francês, François Hollande, se encontra com o ministro do interior, Manuel Valls, a afim de discutir as medidas a serem tomadas sobre o caso.

Segundo a imprensa local, preliminarmente, 73 corpos foram confirmados na tragédia de Nice, mas o número pode ser ainda maior. Homens e mulheres de diferentes idades estão feridos, a maioria já se encontra em hospitais da região.

Publicidade

Não há informações sobre o estado de saúde das vítimas sobreviventes.

O presidente dos Estados Unidos, responsável por uma das coalizões de combate ao #Terrorismo na Síria e Iraque, está acompanhando o caso para compreendê-lo e conferir as ações que forem necessárias para ajudar a França.

Embora o governo francês ainda não tenha se pronunciado, a prefeitura de Nice trata o ocorrido como um ataque terrorista e orienta que as pessoas não saíam de suas casas e as que estão fora, que busquem refúgio. Moradores da região estão oferecendo suas casas para aqueles que estão nas ruas sem poder voltar pra casa. #Estado Islâmico #Ataque Terrorista