Nice é a cidade onde vive o terrorista Oumar Diaby, o principal recrutador europeu do #Estado Islâmico, que facilita a entrada e a saída de extremistas a partir da cidade a sul de França. Tal como informa o site “Sapo”, após os atentados em Nice, as autoridades francesas rapidamente descobriram as muitas ligações que a cidade tem com o Estado Islâmico. Na verdade, devido à sua posição geográfica, completamente colada ao Mediterrâneo, as autoridades acreditam que Nice acolhe dezenas de extremistas e terroristas ao longo do ano.

Apesar de todos os cuidados e da constante presença militar e policial nas ruas de todas as cidades francesas, sobretudo quando são feriados importantes, a verdade é que as autoridades de Nice não conseguiram travar a vontade de um soldado do Estado Islâmico, que conseguiu matar pelo menos 84 pessoas e ferir mais de 200, durante a celebração do feriado nacional mais importante de França, o 14 de julho.

Publicidade
Publicidade

Após os atentados, rapidamente o Daesh revelou qual era o seu próximo alvo: Berlim. Contudo, como informa o site “Sapo”, a França continua sendo um dos principais alvos dos futuros atentados do maior grupo terrorista do mundo. Além de ser um dos principais países que tem atacado os extremistas na Síria, devido à enorme presença de terroristas, principalmente em Nice, o Estado Islâmico sempre considerou França como sendo uma das suas principais prioridades, apesar de apontarem todas as suas atenções para Berlim.

Quanto a Nice, que ainda recupera do maior atentado da história da cidade, as autoridades acreditam que a Riviera francesa é o local usado pelo Estado Islâmico para acolher e transportar grande parte dos seus soldados para território europeu, sendo necessário rapidamente fazer algo para a segurança das suas populações.

Publicidade

Além do atentado de 14 de julho, também outros incidentes envolvendo terroristas do Estado Islâmico assombraram Nice, como por exemplo o ataque a três militares por parte de um terrorista junto a um centro judeu. Oumar Diaby, que até já trabalhou em um restaurante fast-food na cidade, parece ser o principal responsável pela presença dos terroristas no sul de França. #Terrorismo #Europa