Apesar do frio que atualmente atinge a região Sul do Brasil, cada vez mais o aquecimento global tem mudado as características naturais da Terra. As geleiras, situadas nas regiões mais sensíveis e frias do planeta, são as que sofrem maior influência do aumento da temperatura. Agora, uma preocupante análise avalia o rápido degelo da Groenlândia, a maior ilha do mundo.

De acordo com as recentes informações do jornal inglês Daily Mail, dados do satélite CryoSat da Estação Espacial Europeia (ESA), indicam que de 2011 a 2014 a ilha perdeu aproximadamente um trilhão de tonelada de gelo. Essa ‘monstruosa’ diminuição elevou o nível dos mares em todo o mundo.

Publicidade
Publicidade

Segundo os cientistas, o colossal derretimento aumentou o nível das águas em todo o planeta em 0,75 mm ao ano – duas vezes superior à média das duas décadas anteriores.

Para observar o degelo do manto da Groenlândia de forma precisa, pesquisadores usaram um modelo climático daquela região e os dados da missão CryoSat. O estudo também revelou que a cada ano ocorrem grandes variações na quantidade da perda do gelo. Os resultados do trabalho foram publicados na revista Geophysical Research Letters.

Conforme os cientistas envolvidos nas análises, o ano de 2012 foi o mais impactante para o degelo da ilha. Eles informam que naquele período a área foi assolada pelas mais altas temperaturas de verão. Na ocasião, a Groenlândia teve as maiores evacuações de gelo já registradas. Estudiosos acreditam que essas características apontam para uma maior sensibilidade da região às mudanças repentinas no ambiente.

Publicidade

No artigo escrito na Geophysical Research Letters, eles enfatizam que nos últimos anos a parte Sudoeste da ilha tem sido a área com maior degelo. A ‘fuga’ de massa foi tão grande que contribuiu com 41% do déficit total durante os quatros anos de análise. “Em contraste, a região Nordeste contribuiu com apenas 10% de todas as perdas, com o restante dividido entre o Sudeste (25%) e setores Noroeste (24%)”, salientam os estudiosos.

No entendimento do líder da missão, Tommaso Parinello, o satélite CryoSat ajudou a aumentar a compreensão sobra a transformação das áreas congeladas da Terra devido a atuação das alterações climáticas. As observações continuam. #Mídia #Curiosidades #Internet