A mídia americana parece continuar a tentar derrubar a candidatura de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos. Além de criticar veementemente os discursos do magnata, os jornais perdem completamente a linha. Neste domingo, por exemplo, a esposa do homem que pode ser o novo presidente americano teve fotos íntimas divulgadas em vários jornais, o principal jornal a publicar as fotos de Melania Trump nua foi o 'New York Post'. Nas redes sociais, muita gente criticou esse tipo de postura que parece apenas querer beneficiar a candidata rival de Trump, Hillary Clinton, que já tem o apoio de Barack Obama na corrida presidencial.

As fotos de Melania pelada foram originalmente feitas nos anos 1990, antes dela conhecer o atual marido.

Publicidade
Publicidade

Naquela época, as imagens estamparam uma revista da França, um país com parceria histórica com os Estados Unidos e que recentemente tem sido alvo de ataques constantes de terrorismo, especialmente aqueles orquestrados pelo Estado Islâmico. 

As imagens, de acordo com o portal de notícias G1, foram registradas quando a revista contratou a mulher de Trump para uma campanha. As imagens foram registradas na cidade de Manhattan, no ano de 1995. A campanha foi feita para a revista da França 'Max'. O caso também foi exposto mundialmente em reportagens, como uma feita nesse fim de semana pelo 'New York Post', mesmo jornal que levou para suas capas a possível primeira-dama americana nua.

Casos assim costumam não terminar muito bem. Já há quem acredite que Trump vai processar o jornal por expor as imagens íntimas.

Publicidade

No entanto, o candidato à presidência topou dar uma entrevista para a publicação de Nova York. "Eram fotos para uma revista europeia antes de eu conhecê-la. E, na Europa, esse tipo de foto estava na moda e era comum", explicou o candidato. Ele ainda explicou que Melania era modelo e que tinha apenas 25 anos quando o ensaio foi feito. 

Uma pesquisa feita pela rede americana de notícias diz que Trump já aparece na frente de Hillary nos votos gerais. #Governo #Rio2016