Jogadores do "Pokémon Go" estão fazendo de tudo para conseguir encontrar esses monstrinhos, mas alguns estão realmente passando dos limites, como esse jovem que chegou a invadir uma residência na cidade de Chiquimula, na Guatemala. Jerson Lopez de Leon tinha apenas 18 anos e estava jogando o game com seu primo, de 17 anos, quando eles decidiram que seria preciso invadir uma casa para conseguir capturar um dos bichinhos virtuais.

O jovem de 18 anos foi assassinado com um tiro na cabeça e morreu ali mesmo no local. Seu primo, Daniel Moises Picen, também foi baleado e encontra-se internado em estado grave.

A polícia agora está investigando o crime para entender o que de fato aconteceu dentro daquela casa e está contando com a ajuda de algumas testemunhas para que a situação seja melhor explicada, pois algumas pessoas contaram que viram uma van saindo em alta velocidade logo depois dos disparos.

Publicidade
Publicidade

A polícia fez uma busca na residência e encontrou mais de 20 cápsulas de revólver. A dúvida é porque alguém daria tantos tiros e fugiria em seguida se estava em casa e atirou apenas para se defender, achando que poderiam ser bandidos.

A mãe do jovem assassinado confirmou à polícia que seu filho deixou a casa e foi para a rua jogar, logo após ter recebido uma mensagem do primo dizendo para fazer o download do "Pokémon Go" e ir jogar com ele.

A polêmica do Pokémon Go pelo mundo

Desde que Pokémon Go foi lançado, vários casos inusitados já foram registrados como no caso do homem que estava capturando um Pokémon enquanto sua mulher estava para dar à luz.

Jonathan mora nos Estados Unidos e estava no hospital com sua esposa aguardando o nascimento do filho quando viu em seu smartphone que havia um bichinho virtual próximo à cama onde sua esposa se encontrava.

Publicidade

"Meu Deus, há um Pidgey na cama", disse o pai, dividido entre a emoção do nascimento do terceiro filho e a felicidade de ter encontrado um Pokémon. Foi então que ele tirou um print da tela e a imagem compartilhada nas redes sociais já conta com mais de 2 milhões de visualizações.

#Entretenimento #Violência #Casos de polícia