Em Southampton, na Inglaterra, uma mãe de 55 anos não conseguiu resistir mais a perda do seu filho, ainda adolescente. A história trágica teve seu início um ano antes, mas completando um ano após a morte de Jay Chesire, de 17 anos, a mãe repetiu o gesto do filho, morrendo simbolicamente da mesma forma que o garoto. Karin Chesire viveu durante um ano o luto pelo filho, que morreu tragicamente, mas sem "conseguir ver um futuro sem ele", acabou desistindo da sua vida, em uma história que está arrebatando os corações de milhares de leitores, e viralizando na Internet. 

Tudo começou quando Jay não suportou as acusações falsas de violação.

Publicidade
Publicidade

O adolescente estava sendo acusado de ter estuprado uma mulher, o que já depois da sua morte seria provado como falso, com a mulher desistindo mesmo das acusações. Jay acabou se fechando e nem estava comentando muito essa situação com a mãe, que desconhecia que ele estava passando por um momento tão complicado, com essas acusações falsas de estupro. 

Certo é que o adolescente não aguentou mais viver com essas alegações de várias pessoas, que o estariam acusando de ser estuprador, e pôs um fim a sua própria vida. 

Mãe defendeu filho no Tribunal

Karin que tem uma outra filha de 21 anos, foi se tornando uma pessoa menos sociável, depois da morte do filho. Vivia perto da filha mas os vizinhos comentam que ela deixou de ser uma pessoa faladora com eles, passando mais tempo sozinha em casa. Mesmo vivendo em depressão, quis que o tribunal investigasse bem a história das acusações contra seu filho, acreditando sempre na sua inocência.

Publicidade

"Ele era um rapaz maravilhoso", contou Karin, em tribunal, dizendo acreditar que as acusações que sofreu, foram a causa principal da sua morte. "Estou certa que ele foi várias vezes acusado de violador, mas ele nunca me falou", revelou Karin, no tribunal, falando que o filho era mais parecido com ela e que preferia esconder sua dor. 

Mãe não conseguia "ver um futuro sem o filho"

Um ano depois da morte do filho, os vizinhos encontraram Karin sem vida, dentro de casa. Depois de estranharem sua ausência durante alguns dias, foram procurá-la e acabaram desvendando o terrível desfecho. Simon, irmão de Karin, contou que a irmã não conseguia "ver um futuro sem o filho". De coração partido com mais esta #Tragédia na sua #Família, o homem de 58 anos acredita que a irmã esteve se preparando para este final.  #Europa