Cientistas de uma universidade da Bélgica conseguiram criar uma máquina que converte urina em água potável, usando a energia solar. Além de reaproveitar o xixi, essa máquina ainda não desperdiça outros nutrientes, como é o caso do potássio e o nitrogênio.

Conforme publicado pela Universidade de Ghent, a máquina possui um tanque que faz a coleta da urina por meio de uma caldeira que é movida por energia solar. Através do processo de destilação de membrana, ela retira até 95% da amônia do xixi e mantém outros nutrientes.

Os cientistas conseguiram perceber que pelo menos 75% da água contida na urina pode ser recuperada pela máquina.

Publicidade
Publicidade

Dessa forma, os materiais coletados não são desperdiçados, podendo ser reaproveitados para a fabricação de fertilizantes.

De acordo com os cientistas belgas, o estudo vai além. Isso porque eles querem criar máquinas em versões maiores para instalá-las em locais onde há maior circulação de pessoas, como é o caso de aeroportos, por exemplo.

Outro ponto de alcance são as comunidades rurais, onde é difícil de encontrar água potável. Para ajudá-las, as máquinas utilizam uma membrana especial para captar energia de forma eficiente, permitindo ser aplicado o processo em áreas que não estão ligadas à rede elétrica.

Sem contar que, por meio dessa técnica, eles esperam poder ajudar os países em desenvolvimento, levando ajuda necessária para o processo de fertilizantes e também água potável.

Será perigoso reaproveitar a urina?

O pesquisador da universidade, Sebastiaan Derese, informou que a recuperação é feita por meio de um tanque, onde está coletada a urina.

Publicidade

Lá ela é aquecida pela energia solar e passa pela membrana onde acontece a recuperação da água e a separação dos nutrientes como o fósforo, nitrogênio e o potássio.

Os cientistas realizaram muitos testes e todos foram satisfatórios onde a tecnologia empregada obteve bons resultados. Entre os testes, eles aproveitaram para colocar o equipamento para funcionar em um festival de teatro e música que ocorreu em Ghent, cidade da Bélgica.

Foram 10 dias coletando o material do público presente, conseguindo com que a recuperação da urina depositada chegasse a mil litros de água. Nesse festival, os resultados foram positivos, provando a eficácia do aparelho.

Você deve estar se perguntando: “Se os materiais coletados vão ser reaproveitados para o uso de fertilizantes, para onde vai a água reaproveitada?”. A princípio, o uso da água será destinado à fabricação de cervejas. Que tal uma cervejinha belga? #Falta de Agua #Crise Potencial #Mundo