Após fechar um negócio referente à compra de uma casa no valor de valor de US$ 450 mil, a compradora acabou recebendo junto com a chave da casa a companhia de um hóspede inesperado. De acordo com matéria publicada pelo jornal americano Daily Mail, a mulher, que não teve o nome revelado, transportou toda sua mudança para a nova casa na Califórnia (EUA), no último final de semana, e acabou dando de cara com o defunto do antigo proprietário da casa.

De acordo com a polícia o cadáver foi identificado como Salvatore Orefice. Sem saber o que de fato aconteceu e há quanto tempo o defunto encontrava-se naquela situação, os policiais detiveram a ex-companheira de Salvatore para esclarecimentos.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Mary Karacas, de 75 anos, ela atirou contra o antigo companheiro após um desentendimento e teria fugido sem prestar socorro. O caso teria acontecido no dia 22 de junho. A mulher foi indiciada por homicídio doloso, quando há a intenção de matar, e cumprirá pena no presídio estadual da Califórnia.

Outro caso semelhante aconteceu dentro de um asilo em Lisboa no último domingo (17), no decorrer de uma partida válida pelo campeonato português entre Benfica X Marítimo. No fim do jogo o Benfica acabou vencendo o jogo por 2 a 0 e manteve-se na liderança do campeonato. Mas para surpresa de muitos, o tento acabou resultando em morte em um dos quartos do asilo. De acordo com informações do jornal Correio da Manhã, Mariana Vitória, de 88 anos, acabou agredindo sua companheira de quarto durante uma discussão após a partida.

Publicidade

A mulher de 70 anos, que não teve o nome revelado, sofreu traumatismo craniano e não sobreviveu aos ferimentos.

Ainda segundo a reportagem, a agressora acusada de praticar o #Crime sofre de problemas mentais e estaria recebendo tratamento psiquiátrico. Mas de acordo com o diretor da Santa Casa de Misericórdia, a paciente havia recebido alta da equipe médica após apresentar uma certa melhora. Ainda de acordo com ele, a idosa vive sobre os cuidados do asilo há muitos anos e nunca havia demonstrado comportamento agressivo.

Em nota o asilo informa que disponibilizou ajuda psicológica para os familiares da vítima. Enquanto isso, a acusada foi levada sob custódia policial para prestar esclarecimentos. De acordo com o comissário de polícia responsável pelo caso,  a mulher será indiciada por homicídio culposo - quando não há intenção de matar. Ela deverá responder o processo em liberdade, uma vez que está em idade avançada para cumprir pena em um presídio e por apresentar distúrbios mentais.  #Curiosidades #Casos de polícia