Após recuperar-se em um hospital na cidade de Haryana, depois de ser abusada sexualmente por cinco homens, a jovem de 22 anos, contou em seu depoimento para a polícia que, entre os seus agressores, estavam dois homens que já haviam sido condenados por terem praticado o mesmo crime contra a mesma mulher, em 2013. Os homens acusados de abusar sexualmente da estudante pertencente à casta Dalit (considerada a mais baixa do país) foram capturados no último final de semana, em Haryana.

Segundo informações do jornal indiano Hindustan Times, a jovem foi encontrada desacorda em meio ao matagal, na noite da última quarta-feira (13).

Publicidade
Publicidade

De acordo com seu testemunho, ela conta que havia sido sequestrada na porta da Universidade onde estuda Biologia, e, depois de ser dopada, teria sido abusada sexualmente dentro de um carro. De acordo com o chefe de polícia de Haryana, o superintendente Pushpa Khatri afirma que a estudante conseguiu identificar seus agressores e isso facilitou o trabalho da polícia. Dois dos agressores já respondem processo por estupro e aguardam julgamento em liberdade pelo crime praticado na cidade de Bhiwandi contra a mesma vítima.

Em nota, os familiares da jovem informam que, dias antes do estupro, a família já havia sido ameaçada pelos suspeitos. Na ocasião, eles desejavam que a jovem retirasse a queixa em relação ao caso de 2013. ''Eles nos ameaçavam constantemente, até chegaram a nos oferecer uma quantia em dinheiro para que a acusação fosse retirada. Mas a nossa família rejeitou a proposta'', informou um dos irmãos da vítima para o Hindustan Times.

Publicidade

Ainda, de acordo com a família, após o caso de 2013, eles afirmam que foram obrigados a se retirar do local de onde moravam com medo de represálias. No último final de semana, diversos membros da etnia Dalit, organizaram vários protestos na cidade de Rohtak. Durante o ato, eles clamavam por justiça em favor das vítimas de estupros. Uma vez que, no país, o crime é muito comum e os acusados não temem a justiça, pois, em muitos casos, a maioria responde o processo em liberdade

Em 2012, o abuso coletivo praticado contra outra estudante em Nova Délhi, acabou ganhando destaque no mundo todo. Na época, o caso acabou ganhando grande repercussão devido à violência praticada contra as mulheres na Índia. O caso também serviu para que as autoridades daquele país realizassem uma reforma na legislação indiana, referente aos casos de estupro. Desde então, foram aprovadas novas medidas, as quais visam júris mais rápidos, além do aumento das penas para os estupradores.

Mas, ao que tudo indica, tais medidas não surtiram efeito. De acordo com o governo indiano, em 2014, foram registrados mais de 36 mil casos envolvendo abuso sexual. Ativistas contestam esta versão e afirmam que estes números são muito maiores do que o informado. #Entretenimento #Curiosidades