O que dar para um país que possui cerca de 188 mil lagos, em comemoração ao seu centenário de independência? Segundo o governo da Noruega, uma montanha seria a resposta certa.

O governo norueguês está cogitando deslocar sua fronteira, para presentear a Finlândia, que é sua vizinha, com um pico que se tornaria o novo ponto mais alto do país. Atualmente, o ponto mais alto do território finlandês, conhecido como Hálditšohkka, se encontra a 1.324 metros acima do nível do mar, e faz parte de uma montanha ainda mais alta, batizada de Monte Halti, que possui 1.365 metros de altitude.

Presente inusitado

O primeiro-ministro norueguês, Erna Solberg, disse à NRK, emissora oficial do país, que está pensando seriamente em oferecer este presente aos finlandeses, embora ainda não tenha tomado uma decisão final a respeito do assunto.

Publicidade
Publicidade

Solberg afirmou aos telespectadores da NRK que, geofisicamente falando, o Monte Halti possui dois picos, e a proposta é ceder um dos cumes para a Finlândia, pois ambos, atualmente, se encontram oficialmente do lado da fronteira norueguesa.

O prefeito Svein Leiros, de Kafjord, na Noruega, está entusiasmado com o plano, assim como outros políticos locais, e afirmou: "Seria um presente maravilhoso para a nossa nação irmã".

A ideia de presentear a Finlândia com seu novo ponto mais alto partiu do geofísico aposentado e topógrafo do governo norueguês, Bjørn Geirr Harsson, de 76 anos, que escreveu em julho de 2015 para o Ministério dos Negócios Estrangeiros de seu país, salientando que o gesto reduziria apenas 0,015 quilômetros quadrados da Noruega, e deixaria a Finlândia muito feliz.

Para Harsson, a atual fronteira - uma linha reta traçada na década de 1750 - é "geofisicamente ilógica", e segundo seu ponto de vista, é injusto para a Finlândia que o seu ponto mais alto não seja um pico montanhoso adequado.

Publicidade

O deslocamento da fronteira faria com que a parte pertencente à Finlândia ganhasse, além do cume, mais 7 metros de altura.

A reação do público tem sido extremamente positiva, tanto na Noruega quanto na Finlândia, e a única objeção até agora veio da comunidade indígena Sami, cujas renas vagueiam livremente através da fronteira entre as duas nações, e que argumenta que a terra não deveria pertencer a nenhum dos dois países.

A Finlândia comemorará seu centenário de independência da Rússia no dia 6 de dezembro de 2017. #Curiosidades #Europa