Emily Gardner tinha apenas 14 anos quando sofreu um #Acidente de barco e acabou morrendo. O acidente ocorreu no ano passado e a menina estava, pela primeira vez, viajando sem os pais, que acreditaram que os pais da amiga cuidassem também da sua filha. O pai de Emily sente que esse acidente teve culpados, que deveriam ter sido responsabilizados. A lei assim não julgou mas o debate ficou relançado: Podem os pais confiar nos amigos para cuidarem dos seus filhos? 

Quando Emily pediu aos pais para sair com a amiga Holly, eles mal poderiam imaginar o que estava para acontecer. Emily e Holly eram amigas desde os dois anos e seus pais mantinham boas relações.

Publicidade
Publicidade

Emily sairia então junto com a amiga e com os pais, que garantiram toda a segurança em um passeio de barco. Foi a primeira vez que Emily saiu em viagem sem o pai e a mãe e o final foi o pior possível. 

Pai da amiga não garantiu toda a segurança

No passeio de lancha, a menina estava vestindo um colete salva-vidas bem maior do que o seu tamanho, o que poderá ter causado a sua morte. Antes do acidente, a lancha estava circulando rápido demais e em uma trajetória errada, de acordo com o resultado do inquérito. Após o acidente, Emily ficou presa pelo colete e terá estado 25 minutos debaixo da lancha, sem que conseguissem soltá-la. A menina ainda foi levada para o hospital e, durante 80 minutos, foram feitos todos os esforços para que a adolescente fosse reanimada. Mas todas as tentativas foram sem sucesso. Emily acabou morrendo, por ataque cardíaco e afogamento, de acordo com a autópsia. 

Pais exigem mudanças na lei

No tribunal, o pai de Holly foi ilibado de qualquer crime.

Publicidade

Mas no coração dos pais de Emily é ele o culpado e não conseguirão perdoá-lo nunca. Eles acreditam que ele deveria ter tido mais cuidado com as crianças e que jamais teriam autorizado essa viagem se soubessem que ele tinha colocado um acelerador no barco, que teria levado ao excesso de velocidade. Também o erro no colete não tem perdão, na opinião do pai de Emily. 

Acreditando que não foi feita justiça nesse caso, os pais da menina pretendem que sejam feitas alterações na lei, de forma a que casos como este não se repitam mais. Os Gardner pedem para que seja obrigatório ter uma licença para dirigir barco e também para que sejam cumpridas normas de segurança dentro do barco, como a de todos utilizarem coletes adequados, o que não estava acontecendo durante o acidente que vitimou a sua filha. Essas normas são obrigatórias já em vários países, mas não na Inglaterra, onde tudo isso aconteceu. #Família #Europa