Mais um atentado abala a França. Um homem de mais de trinta anos, com cidadania tunisiana e francesa, matou dezenas de pessoas, incluindo um grande número de crianças e feriu centenas de outras com um caminhão. No veículo, a polícia francesa constatou que haviam armas e granadas. O terrorista, após ter atropelado as pessoas, desceu do caminhão e passou a atirar nos presentes ao evento da cidade de Nice, no sul da França, onde comemoravam o feriado francês da Queda da Bastilha.

A cientista política e especialista em França no Instituto Alemão de Assuntos Internacionais e Segurança (SWP), Ronja Kempin, em entrevista à rede de TV ‘DW’ – Deutsch Welle, disse que há alguns motivos pelos quais a França esteja sempre na mira dos terroristas, e, principalmente, esse ano onde já aconteceram três atentados de grandes proporções no país.

Publicidade
Publicidade

“É muito difícil para as autoridades francesas controlarem esses cidadãos no momento em que se radicalizam – explica a especialista com relação aos radicais religiosos que vivem na França – pois eles podem facilmente saírem e entrarem no país com seu passaporte francês”, explica.

Ela ainda conta que, geograficamente, a França é um local de muito fácil acesso para os radicais do Estado Islâmico. Além disso, o governo francês mantém ocupação com o seu exército na Síria e no Iraque onde faz ataques a esconderijos e lugares onde, possivelmente, integrantes do Estado Islâmico ‘se escondem’. Ronja explica também que há a questão cultural onde a França se abriu para chegada de imigrantes muçulmanos e, além disso, atualmente, o país enfrenta uma grave crise de desemprego onde nela mais de 64% dos desempregados são imigrantes de dupla nacionalidade.

Publicidade

Outro possível motivo que a especialista citou é a questão de que a França é um país laico que não sofre influência religiosa nas decisões políticas: “(...) nela existe uma separação estrita entre Igreja e Estado. Este não se sente responsável por assuntos religiosos. – explica a especialista afirmando que o estado francês precisa dar mais atenção às questões religiosas existentes no país – Ou seja, por muito tempo, o país não deu importância para o que estava acontecendo, principalmente nas comunidades muçulmanas. (...)”. #Terrorismo #Europa #Ataque Terrorista