A professora Mary Beth Haglin, de 24 anos, chamou a  atenção dos moradores da cidade de Cedar Rapid, no estado de Iowa, ao ser presa no último dia 22. Ele lecionava na Washington High School e foi detida por causa de uma denúncia de que a mesma havia mantido relações sexuais com um aluno, cuja idade não foi revelada. Esta informação foi divulgada pelo jornal The Gazette e publicada pelo site da Rede TV  nesta quarta-feira, dia 27.  Segundo as informações, a professora chegou a afirmar em seu depoimento à polícia daquele estado que a própria direção da instituição tinha conhecimento do fato.

Veja como começou toda a história

Segundo o site, a professora Mary Haglin começou a se envolver com o aluno ainda em  2015.

Publicidade
Publicidade

Presume-se que ela tenha mantido relações íntimas com o mesmo próximo do final do ano, ainda no mês de outubro. Segundo a mesma, a direção já havia lhe chamado a atenção por causa do fato, Entretanto, o ocorrido não chegou a ser denunciado às autoridades pela própria #Escola. A professora explicou que tal posicionamento seria por causa do escândalo que poderia custar a boa reputação do local. 

De acordo com as informações, o fato só chegou ao conhecimento da direção da instituição educacional durante o mês de fevereiro deste ano. De imediato, Haglin chegou a ser substituída, numa tentativa de se acalmar a situação e de se abafar o caso. De acordo com ela, todos os funcionários e as demais pessoas sabiam do seu relacionamento com o aluno. A professora declarou que, por causa da sua omissão, a própria escola tem culpa pelo fato.

Publicidade

A divulgação sobre tal episódio só veio a público, após uma denúncia feita por alguém que não frequenta o local.

Ao ser interrogada pela polícia, a professor ainda tentou culpar seus relacionamentos afetivos do passado como uma das causas pelo ocorrido, além do próprio meio escolar que teria favorecido tal #Comportamento permissivo. Perante a Justiça americana, ela poderá ser condenada por exploração sexual de menores, com a possibilidade de cumprir pena de dois anos de reclusão e ter seu nome incluído na lista de criminosos acusados de crime contra crianças até os dez anos de idade. 

Apesar do fato, a professora assumiu a responsabilidade pelos atos cometidos e disse que vai responder ao crime sem abaixar a cabeça e nem fugir de todas as imputações que lhe forem impostas durante o julgamento.    #Casos de polícia