As consequências do referendo, que culminou na saída do Reino Unido da União Européia, ainda serão sentidas por muitos anos, tanto pelo país europeu quanto pelo resto do mundo. Mas, apesar das notícias até agora não serem muito animadoras para ninguém, as perspectivas futuras indicam que os desdobramentos do "Brexit" podem beneficiar vários países, inclusive o Brasil. Essa é, pelo menos, a visão do embaixador do Reino Unido no Brasil, Alex Ellis. Para o diplomata inglês, a saída do país da União Européia aumenta as perspectivas de acordos comerciais com o Brasil em várias áreas.

Após a conclusão das negociações de saída do bloco europeu, que devem durar dois anos, a possibilidade de acordos comerciais do Reino Unido com outros países crescerá bastante, segundo o embaixador.

Publicidade
Publicidade

E nesse sentido, o Brasil poderá se beneficiar com acordos bilaterais com os britânicos, inclusive na área agrícola.

Porém, apesar das expectativas futuras abrirem possibilidades de negociações entre os dois países, a política pós-União Européia do Reino Unido ainda é uma incógnita para todo o mundo, inclusive para os próprios britânicos. O país precisará superar, além da ruptura com a UE, os conflitos internos dentro do reino, como a briga da Escócia pela independência e manutenção do país dentro do bloco europeu.

A nova primeira-ministra, Theresa May, que era defensora da permanência dos britânicos na União Européia, já afirmou que o país precisará enfrentar sérias reformas sociais após o Brexit. Além disso, o Reino Unido terá que resolver os problemas internos da imigração, fator que atinge toda a Europa.

Publicidade

Se o país confirmar a interrupção das fronteiras livres que mantinha com os outros países da UE, a tarefa de frear o processo imigratório no país pode surtir resultados rápidos.

Os desafios do Reino Unido estão apenas começando nessa nova fase da política e da história do país, mas Alex Ellis afirma que, uma vez superado o processo de transição, o Brasil será um dos países que os britânicos terão interesse em manter um contato mais intenso, firmando acordos que beneficiem ambos. #Europa #União Europeia #Relações Exteriores