Neste domingo (17), o presidente interino Michel Temer, junto ao Ministério das Relações Exteriores, se comprometeu a prestar solidariedade às vítimas brasileiras do atentado em Nice, e aos parentes  residentes no Brasil. Segundo a publicação da "Empresa Brasil de Telecomunicações S/A (EBC)", a determinação de Temer foi claramente proferida: "redobrem os esforços para dar total assistência aos brasileiros atingidos pelo atentado na cidade francesa de Nice", sendo enfático ao revelar que todos os meios do governo federal serão disponibilizados às famílias, em função do alcance de informações para o auxílio de eventuais necessidades.

Todas as informações sobre os novos procedimentos do governo foram publicadas por meio de notas divulgadas pela imprensa da Secretaria de Comunicação, do Palácio do Planalto.

Os parentes de Elizabeth Cristina de Assis Ribeiro comunicaram o desaparecimento da brasileira desde o incidente.

Publicidade
Publicidade

Nascida no Rio de Janeiro, Elizabeth é mãe de Kayla Ribeiro que, infelizmente, teve a morte confirmada pelo Consulado Suíço, em Nice.

Apesar da mãe de Elizabeth fazer um apelo pelas redes sociais em busca do paradeiro da filha, que foi desfrutar as férias na cidade francesa, acompanhada do esposo e as três filhas, não obteve notícias.

A França comemora no dia 14 de julho a 'Queda da Bastilha', dia nacional do país, por isso, a cidade de Nice estava em festa, mas, aquela noite foi marcada por um caminhão que surgiu de forma inesperada, em meio à multidão, atropelando várias pessoas, inclusive, as crianças. A tragédia foi registrada com 84 óbitos e 85 pessoas lesionadas. Algumas se encontram em estado grave e permanecem internadas em hospitais da cidade.

Ainda há esperanças nas buscas para localizar outros dois brasileiros que ainda estão desaparecidos, segundo informou a Consulesa Geral do Brasil, Maria Edileuza Fontenele Reis, que concedeu uma reportagem à BBC Brasil.

Publicidade

O responsável pela tragédia foi o franco-tunisiano, Mohamed Lahouajej Bouhlel, que conduziu o caminhão para cima das pessoas em um percurso de dois quilômetros, antes de ser detido e morto por policiais franceses.

O criminoso, momentos antes do acontecido, tinha enviado uma foto ao irmão, o qual declarou que Bouhlel demonstrou felicidade em estar festejando com os colegas. Jabeur, irmão do criminoso, nunca imaginava o que estava para acontecer na pacata cidade de Nice.

Entretanto, um fato relevante para as investigações, segundo uma emissora da cidade, foi o reconhecimento minucioso que Bouhlel realizou dias antes do atentado, ou seja, o assassino esteve no local do da festejo entre os dias 12 e 13 de julho.

A equipe de investigação foi sinalizada, através dos vídeos gravados pelas câmeras que descreveram toda a ação do criminoso, inclusive, no dia do crime quando estava ao volante se preparando para o massacre.  #Michel Temer #Ataque Terrorista #AtentadoNice