Joylene Cunningham, de 30 anos, foi condenada a dois anos e meio de cadeia, após um crime contra o seu namorado. A inglesa teria encontrado o namorado com outra mulher e sua reação foi com enorme violência. Joylene teria cortado o rosto do homem, com uma lâmina, golpeando ele desde a boca até a orelha. O homem, Sean Harman precisou levar dezoito pontos, na sutura. E Joylene foi agora condenada com pena de prisão. 

Traída, mulher perdeu a cabeça

A mulher tentou justificar sua atitude mais violenta com aquilo que tinha acabado de assistir. Joylene apanhou o namorado em flagrante, "beijando e abraçando" uma outra mulher e isso provocou uma raiva nela, que lhe deu forças para partir para cima, para a briga.

Publicidade
Publicidade

Inicialmente, a mulher ainda falou, no tribunal de York, na Inglaterra, que o golpe teria sido provocado com o anel ou com um copo partido, mas tudo isso foi considerado mentira. Ela admitiu tê-lo agredido e dado socos e que, eventualmente, o golpe poderia ter sido causado pelo anel que ela estava usando no dedo ou então pelo copo que ele estava segurando na mão, que poderia ter-se quebrado, durante seu ataque. No entanto, o tribunal concluiu que Joylene usou mesmo uma lâmina para cortar o rosto do namorado, o que ela continuou sempre negando. 

Após traição, vítima ficou do lado da agressora

Apesar da violência usada nesse ataque, Joylene Cunningham teve várias atenuantes na sua condenação, fazendo com que sua pena não fosse assim tão elevada, perante a gravidade de um crime de violência doméstica, que terminou com uma cicatriz permanente no rosto da vítima. 

Por se tratar de um crime passional e por Joylene não ter qualquer antecedente criminal, o juiz acabou por não dar uma pena muito pesada para essa mulher de 30 anos.

Publicidade

Também o depoimento da vítima, Sean Harman, acabou favorecendo a ex-namorada. A mulher contou que foi movida por um ataque de raiva, quando assistiu a traição, e Harman acabou justificando a atitude da ex-amada. Ele contou que a traiu, convencido que ela andava com outro homem e que seria ela quem estaria traindo. 

Harman acreditava que estava sendo traído e que fez isso para se vingar dela e para fazer com que ela se sentisse mal. Admitiu ainda que já teria tido comportamentos violentos com Joylene, no passado e que ela nunca tinha sido violenta com ele. Harman também defendeu que o corte foi provocado pelo anel ou pelo copo partido, uma defesa que o tribunal não aceitou.  #Família #Justiça #Europa