É difícil de acreditar que alguém possa sobreviver a um ataque de urso. No Canadá, o número de ataques de urso é muito grande, principalmente na cidade de Churchill e em suas redondezas, onde o número de ursos chega a ser maior que o de moradores. Por conta disso, as cidades são monitoradas por câmeras e guardas, e os moradores são constantemente avisados para manter as casas e carros sempre abertos para facilitar a entrada de guardas, caso algum animal entre no local.

Na região, há vários tipos de ursos: preto, pardo e os imensos ursos polares que são extremamente agressivos. Normalmente, eles ficam escondidos nas pedras ou circulando pela natureza ao redor das cidades.

Publicidade
Publicidade

E muitas vezes, principalmente à noite, aparecem na cidade.

Rick Nelson, de 61 anos, estava com seu cachorro passeando pelas ruas, na província de Ontário, quando avistou na beira da estrada um pequeno filhote de urso-negro. O urso-negro pode alcança 2,20 m de comprimento, 1,10 m de altura na cernelha (região localizada entre os ossos do ombro e a base do pescoço de diversos animais, como os ovinos e bovinos; agulha, cachaço, cruz, garrote) e 360 kg de peso. E onde tem um filhote de urso tem também uma mãe urso. Rick sabia que o perigo estava próximo!

Um pouco mais à frente, a mãe do pequeno urso, que pesava cerca de 145 quilos, saiu da beira da estrada atacando Rick, que não tinha nem uma arma para se defender. Noventa e nove por cento dos ataques são ações defensivas, ou seja, quando o animal se sente ameaçado e age para proteger os filhotes.

Publicidade

Rick, em um instinto de sobrevivência, recorreu a seus conhecimentos de anos de prática de boxe, e começou a golpear o animal. Ele explicou que a maioria dos ursos estão certos.

"Eu bati um gancho bem no nariz", e continuou dizendo: "Ele se virou para o filhote, com um pouco de sangue na boca, e foi embora. Eu tive muita sorte". Rick sofreu apenas alguns arranhões, e disse que o motivo de ter sobrevivido foi por ter acreditado nele mesmo, que mesmo com 61 anos, conseguiu "bater tão forte". #Curiosidades #entrevista #Acidente