O #Estado Islâmico revelou que foi o responsável pelo enorme incêndio junto à Torre Eiffel, que também marcou o passado dia 14 de julho na França. Tal como informa o site “Notícias ao Minuto”, o grupo terrorista, através de um vídeo arrepiante, falou sobre o atentado cometido por um dos seus “soldados” em Nice durante o feriado nacional, mas também sobre o incidente com a Torre Eiffel praticamente ao mesmo tempo, que por muitos minutos causou o pânico a toda a população parisiense. Contudo, as autoridades garantem que a situação esteve sempre controlada e garante que o Estado Islâmico está tentando ter crédito por um alegado acidente que ocorreu no local.

Depois das ameaças do Estado Islâmico terem sido praticamente todas dirigidas à Eurocopa, que decorreu do dia 10 de junho até 10 de julho, em várias cidades francesas, a verdade é que o atentado ocorreu passados quatro dias do término do evento, em uma cidade a sul de França.

Com um caminhão, a toda a velocidade, apenas um terrorista em Nice conseguiu matar pelo menos oitenta e quatro inocentes, bem como causar várias centenas de feridos.

Publicidade
Publicidade

Contudo, e como garante o site “Notícias ao Minuto”, o atentado de Nice pode não ter sido a única ação terrorista protagonizada pelo maior grupo terrorista do mundo, sendo que no último vídeo publicado pelo Estado Islâmico, os responsáveis garantem que também foi da sua autoria o pânico causado junto à Torre Eiffel durante o 14 de julho.

As autoridades francesas garantiram no próprio dia que apenas tinha sido um acidente, apesar da quantidade enorme de fumo que praticamente tapou o maior símbolo do país. Nas redes sociais, se esse momento causou o pânico, sendo que muita gente temeu que Paris estava sendo novamente atacado, a verdade é que muitas comunidades imigrantes, sobretudo a portuguesa, já afirmou que muitos dos seus membros estão já planejando a sua saída imediata do país, temendo cada vez mais pela segurança dos seus familiares.

Publicidade

O Governo francês já anunciou o estado de alerta máximo e três dias de luto nacional, que se iniciaram na passada sexta-feira e marcam mais uma das páginas mais macabras da história francesa. #Terrorismo #Europa