Estão ficando cada vez mais comuns as transmissões ao vivo de crimes feitas pelas redes sociais. Nessa semana, de acordo com a revista Veja em matéria publicada nesta quinta-feira, 14, três homens estavam ouvindo e cantando música dentro do carro e decidiram mostrar o momento de descontração na web. Eles estavam no veículo no estado de Virgínia, nos Estados Unidos, quando durante a transmissão ao vivo feita pelo Facebook acabaram sendo baleados. O #Crime teria sido realizado na terça-feira, 12, mas só agora ganha repercussão no mundo já que o Facebook decidiu não tirar as imagens do ar. O vídeo com a exibição ao vivo das imagens fortes já tem mais de 750 mil exibições. 

A Veja confirma que os rapazes são bastante jovens.

Publicidade
Publicidade

Todos na faixa dos 20 anos. Eles estavam bem tranquilos dentro do carro, quando um deles se abaixa e tenta se proteger dos tiros. É possível ouvir seguramente mais de 30 disparos, o que pode acabar constatando uma tentativa de execução. O aparelho continua ligado por mais de uma hora, só desligando depois que acabou a bateria. O celular capta todos os sons da ação e pode ajudar na investigação policial. Um homem faz outra ligação com outro aparelho e informa que há feridos no carro. Paramédicos chegam ao local e tentam fazer os primeiros socorros dos jovens. A informação é que, por sorte, nenhum deles acabou falecendo. 

O Facebook recebeu muitos elogios por não retirar as cenas fortes do ar. Essa política tem sido seguida nos últimos dias, quando a tensão racial nos Estados Unidos se acirrou.

Publicidade

Diversos crimes que podem ter motivações racistas foram transmitidos em tempo real. Um dos responsáveis pelo Facebook disse à CNN que as imagens podem ajudar na luta contra o crime e também para a identificação dos criminosos. Por isso, elas não seriam retiradas do ar. A empresa disse, no entanto, que casos que mostram tortura ou ridicularizam as vítimas fazem com que a companhia opte por não compartilhar as imagens. 

Veja abaixo o vídeo com a transmissão ao vivo feita no Facebook que mostra o momento do crime:

#Investigação Criminal