A degola de um padre na região da Normandia, na França, acabou sendo filmada por terroristas que supostamente seriam do grupo Estado Islâmico. A informação foi feita por uma das sobreviventes do ataque que ocorreu nesta terça-feira, 26, na igreja católica em Saint-Étienne-du-Rouvray. Quem contou toda a história, de acordo com uma reportagem da Revista Veja, foi uma freira que assistiu a tudo. De acordo com ela, o padre foi feito refém por dois homens.

Enquanto um deles fazia um vídeo do crime, o padre, que teria 84 anos, foi obrigado a se ajoelhar e em seguida teve o pescoço cortado. A mulher foi identificada como "Irmã Danielle".

Publicidade
Publicidade

Ela disse ainda que durante a degola os homens fizeram juras ao Estado Islâmico e falavam áraba. O governo francês confirmou que o ataque foi terrorista. O grupo extremista também reivindicou a  ação contra a igreja católica. 

A revelação foi feita pela freira em uma emocionante entrevista á rádio RMC. Além dela e do padre, também foram alvos dos criminosos uma outra freira e mias dois fiéis que estavam na igreja no momento da ação. Todos foram obrigados a ficar juntos. Durante a ação, os católicos solicitaram que os terroristas não fizessem a prática criminosa, mas eles pareciam não se importar, dizendo que aquela era uma vingança do islamismo. O Papa Francisco lamentou a morte do religioso através de uma nota publicada pela assessoria do Vaticano. 

O padre morto é o sacerdote Jacques Hamel.

Publicidade

A idade dele aparece diferente em alguns veículos de comunicação do exterior, indo de 84 a 86 anos. A freira disse o seguinte para a rádio francesa: "Gravaram em vídeo. Fizeram uma espécie de sermão em árabe em torno do altar. Foi horroroso”.

Danielle disse ainda que conseguiu fugir no momento em que os terroristas matavam o padre. Nesse instante, ela pediu socorro para um motorista que passava de carro em frente à igreja. Os dois terroristas foram mortos ao saírem da igreja. Antes de morrerem, no entanto,  eles feriram um dos fiéis, que está em estado gravíssimo no hospital.  #Terrorismo #Ataque Terrorista