Não é de hoje que episódios de #Racismo vêm acontecendo nos EUA. Desta vez, um homem negro foi morto pela polícia de Falcon Heights, em Minnesota, deixando muitas pessoas indignadas e revoltadas com o tipo de preconceito que ainda existe no país. Os momentos finais do rapaz, Philando Castile, de apenas 32 anos, foi transmitido ao vivo para o Facebook por sua namorada, que com um celular filmou o seu companheiro sangrar até a morte.

O fato ocorreu nesta quarta-feira (6), dois dias depois de ter acontecido outro incidente similar em Louisiana, o que deu mais força ainda ao debate sobre o racismo provenientes das autoridades americanas.

Publicidade
Publicidade

Segundo o que foi divulgado pelo vídeo e pela imprensa local, o casal estava no carro com uma criança quando foi abordado pela polícia. Para os policiais, Castile disse que tinha uma arma que era regularizada, mas quando foi pegar a sua carteira, logo foi atingido por um tiro.

Castile trabalhava como funcionário de um refeitório em uma escola. Em depoimento, a companheira de Castile, Lavish Reynolds, contou a mesma versão divulgada pela imprensa local, ela também filmou tudo desde que o seu namorado foi atingido pelos policiais.

No vídeo, a mulher implora por ajuda enquanto filma o seu namorado sangrando no banco do carro com um tiro na altura do abdômen, agonizando de dor. É possível ver o policial do lado fora apontando a arma para o homem já ferido. As imagens são fortes e geraram muita polêmica.

Publicidade

Logo após serem divulgadas pela mulher, foram compartilhadas pela MSNBC. Confira:

“Meu Deus, não me digam que ele morreu, não me digam que meu namorado se foi assim...foram quatro tiros senhor”, afirmou Reynolds nas imagens que já foram vistas só no Facebook mais de 1,7 milhões de vezes.  

No fim do vídeo, um outro fato emocionante aconteceu, a filha de Reynold de apenas 4 anos que estava no carro tenta acalmar a mãe: “Está tudo bem mamãe”, estou aqui com você”, diz ela.

Em depoimento, os policiais afirmaram que a morte do homem ainda será investigada e que, no local do #Crime, foi encontrada uma arma.

Segundo Reynolds, o policial que atirou em seu namorado era chinês, mas ele ainda não foi identificado. Segundo ela, a viatura parou o carro deles por causa de um farol queimado e também por que havia maconha dentro do carro.

No outro fato similar que aconteceu em Louisiana dois dias antes desse, um outro homem negro foi morto por policiais. O caso ainda está sob investigação.

No Facebook, foi criada uma página com o nome de “Justiça para Philando Castile”, na qual está escrito “Philando Castile morreu pelas mãos da polícia no dia 6 de julho de 2016. Exigimos justiça”.

#EUA